Dólar tem fortes ganhos em 2014 na expectativa de aperto monetário nos EUA

O dólar avançou contra o iene e o euro na quarta-feira, quando os mercados celebraram o último pregão de 2014, diante da expectativa de um aperto monetário em 2015. O euro tocou o menor nível desde julho de 2012 contra o dólar, o que sinalizou que os investidores continuam apostando que a divisa norte-americana continuará sua ascensão contra as principais moedas internacionais no novo ano.

AE, Estadão Conteúdo

01 de janeiro de 2015 | 09h05

No fim da sessão de quarta-feira em Nova York, o dólar era negociado a 119,79 ienes, de 119,54 ienes no fim da tarde de terça-feira. O euro era cotado a US$ 1,2099, de US$ 1,2154 na mesma base de comparação. O divisa europeia caiu abaixo de US$ 1,21 pela primeira vez desde julho de 2012. Frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a 144,96 ienes, de 145,31 ienes. Diante da libra, o euro estava cotado a £ 0,7863, de £ 0,7813. O franco suíço estava cotado a 0,9939 por dólar, de 0,9891 por dólar, e a 1,2026 por euro, de 1,2023 por euro. A libra estava cotada a US$ 1,5595, de US$ 1,5553. O dólar australiano estava cotado a US$ 0,8180, de US$ 0,8178. O rublo estava cotado a 61,28 por dólar, de 55,841 por dólar; a coroa norueguesa estava cotada a 7,4861 por dólar, de 7,4178 por dólar. O dólar canadense estava cotado a 1,1596 por dólar, de 1,1600 por dólar.

No acumulado do ano, a divisa norte-americana teve fortes ganhos frente ao euro e o iene. Os investidores buscaram o dólar no segundo semestre de 2014, confiantes de que os dados econômicos mais fortes dos EUA seriam suficientes para convencer o Federal Reserve a elevar os juros pela primeira vez desde antes da crise financeira. Ao mesmo tempo, o crescimento anêmico e inflação fraca na zona do euro e no Japão forçaram os respectivos bancos centrais a aliviarem a política monetária, o que, em última análise, enfraqueceu suas respectivas moedas.

No fim de 2013, o dólar era negociado em cerca de 105 ienes e o euro atingia a US$ 1,38.

"Estamos fechando um ano muito forte para o dólar", disse Martin Schwerdtfeger, estrategista de moedas na TD Securities. "E há expectativas para o dólar continuar a se fortalecer no novo ano".

Os investidores antecipam mais acomodação por parte do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco do Japão (BOJ) em 2015, ao passo que acreditam que o Fed deve aumentar as taxas de juros em torno de meio do ano. Taxas mais altas nos EUA devem atrair investidores para o dólar, uma vez que isso pode ampliar os retornos sobre ativos denominados na moeda. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
MundoCâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.