Dólar tem leve alta à espera de pesquisa eleitoral

Dólar tem leve alta à espera de pesquisa eleitoral

Pressão contra o real deve aumentar caso resultado de Dilma melhore

LUCIANA ANTONELLO XAVIER, Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2014 | 09h49

O dólar começou a sessão desta terça-feira, 23, em baixa, mas não conseguiu sustentar esse movimento. Enquanto a moeda americana perde para a maioria das moedas emergentes e ligadas a commodities nesta manhã, no Brasil há um fator que traz cautela aos negócios: a pesquisa eleitoral CNT/MDA que sai às 10 horas. Caso a sondagem mostre melhora da candidata à reeleição, Dilma Rousseff, nas intenções de voto, a pressão contra o real deve aumentar e os juros futuros devem acompanhar esse movimento.

Mais especulações e volatilidade devem ser observadas também por causa da divulgação da pesquisa Ibope/Estadão/Rede Globo, que será conhecida a partir das 18 horas. Na segunda-feira, 22, a moeda dos Estados Unidos subiu a R$ 2,3950 (+0,71%), o maior nível desde 13 de fevereiro deste ano diante da possibilidade de Dilma abrir mais vantagem em relação à Marina nas pesquisas.

Às 9h25, o dólar à vista no balcão subia 0,17%, a R$ 2,3990. O futuro para outubro operava estável, a R$ 2,4045.

A valorização das moedas emergentes e ligadas a commodities está amparada em notícias mais positivas vindas da China. O índice dos gerentes de compras (PMI) do setor da indústria na China, medido pelo banco HSBC, subiu a 50,5 em setembro, de 50,2 em agosto. Perto das 9h20, o dólar caía ante o dólar australiano (-0,18%), o dólar canadense (-0,25%), o rand sul-africano (-0,61%) e o peso chileno (-0,23%).

Nas próximas horas, os investidores também estarão atentos aos discursos dos presidentes regionais do Federal Reserve Esther George (Kansas City) e James Bullard (St. Louis), ambos às 10 horas, ao índice de atividade dos gerentes de compra (PMI) industrial (preliminar de setembro) da Markit (10h45) e ao índice de atividade regional de setembro do Fed de Richmond (11h00). À tarde, é a vez da arrecadação federal brasileira em agosto (14h30). As estimativas para o resultado variam de R$ 87,8 bilhões a R$ 99,2 bilhões, com mediana de R$ 96,7 bilhões, segundo levantamento AE Projeções.

Tudo o que sabemos sobre:
dólareleiçõespesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.