Dólar tem leve alta, após reduzir ganhos com ata do Fed

O dólar fechou com ligeira alta ante suas principais rivais, após reduzir os ganhos, em reação à divulgação da ata de política monetária do Federal Reserve (Fed). O texto mostrou que os membros do banco continuam a ver uma melhora lenta da economia dos EUA mas não têm nenhum plano de elevar as taxas de juros em breve.

Agencia Estado

21 de maio de 2014 | 18h25

A reunião de dois dias do Fomc, encerrada no dia 30 de abril, debateu estratégias sobre como o banco central poderá lidar com US$ 4,3 trilhões de ativos que detém, bem como os US$ 2,6 trilhões que injetou no sistema bancário como reservas. No entanto, essas discussões, além da leitura modestamente otimista do Fed sobre a economia dos EUA, não vão convencer os investidores de que eles devem esperar taxas de juros mais altas em breve, disse Robert Lynch, estrategista de câmbio do HSBC.

"As discussões de estratégias de saída por si só e aquelas caracterizadas como alguma coisa que não irão entrar em vigor tão cedo - não vão alterar as expectativas em torno da política do Fed no mercado", acrescentou Lynch. "Isso sozinho não deverá se traduzir em níveis mais altos do dólar."

No fim do dia, o dólar estava em 101,43 ienes, de 101,29 ienes ontem, e acima da mínima de 101,36 ienes registrada imediatamente após a divulgação da ata do Fed. O euro estava em US$ 1,3683, de US$ 1,3699 ontem, e depois de bater mínima durante a tarde de US$ 1,3655 com o anúncio do documento. O euro estava em 138,80 ienes, de 138,79 ienes ontem.

A libra subia para US$ 1,6894, de US$ 1,6839 ontem. A moeda foi impulsionada pela ata de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE), que mostrou um tom mais duro, sugerindo que o banco central está mais próximo do que o esperado de elevar as taxas de juros. Dados das vendas no varejo do Reino Unido melhores que o esperado em abril também contribuíram para o avanço da libra ante o dólar. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.