Dólar tem queda acentuada após comunicado do Fed

Banco Central dos Estados Unidos afirmou em comunicado que está desconfortável com as perspectivas para a economia dos Estados Unidos em 2011

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

21 de setembro de 2010 | 18h12

O dólar cedeu amplo terreno depois de o Federal Reserve ter emitido comunicado no qual dizia estar ficando desconfortável com as perspectivas para a economia dos Estados Unidos em 2011, apesar de ter evitado adotar novos passos para estimular a recuperação em meio a um intenso debate interno sobre o que fazer a seguir.

O euro subiu rapidamente depois do comunicado, alcançando ganhos de 1,5% ao mesmo tempo em que o dólar caía ante o iene, que por alguns instantes chegou a ser cotado abaixo de 85 ienes por dólar. Tal cotação é vista por muitos analistas como o limite admitido pelo Japão para a apreciação de sua moeda depois da intervenção feita no mercado internacional de câmbio na semana passada.

"O que vemos é a porta ainda aberta para um maior afrouxamento quantitativo", observou Michael Woolfolk, estrategista cambial do BNY Mellon em Nova York, ao comentar a possibilidade de uma nova rodada de compras ativos para estimular a economia.

"O afrouxamento quantitativo é amplamente visto como corrosivo à cotação de uma moeda, e com uma maior probabilidade de adoção dessas medidas, a reação automática nos mercados é vender o dólar", prosseguiu ele.

O comunicado do Fed também parece confirmar, pelo menos por enquanto, que um duplo mergulho na recessão "está fora de cogitação", disse Woolfolk, o que permite aos investidores deixar para trás cenários pessimistas para assumir riscos em moedas de yield mais elevado, como o dólar australiano, que hoje alcançou sua máxima em dois anos ante o dólar norte-americano, a US$ 0,9566, de US$ 0,9473 no fim da tarde de ontem.

O dólar cedeu terreno ante a maior parte das moedas nos minutos que se seguiram ao comunicado do Fed, perdendo mais de 1,7% para a coroa sueca e caindo acentuadamente ante divisas de países emergentes.

Ao mesmo tempo, o dólar foi abaixo da paridade ante o franco suíço. A cotação era de 0,9976 francos por dólar no fim da tarde de hoje, de 1,0052 francos por dólar na segunda-feira.

"É possível argumentar que o Fed esteja agora buscando uma política de dólar fraco" para recuperar a economia norte-americana, comentou Jessica Hoversen, analista de câmbio e renda fixa da MF Global em Chicago.

No fim da tarde, em Nova York, o euro era negociado a US$ 1,3247, de US$ 1,3061 ontem. O iene estava cotado a 85,12 por dólar, de 85,75 ienes por dólar ontem. A libra estava em US$ 1,5627, de US$ 1,5552 ontem. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.