Dólar tem volatilidade em dia de PIB dos EUA e pesquisa eleitoral

Moeda americana abriu o dia em alta, mas virou para o campo negativo; fatores externos e pesquisa eleitoral prevista para esta sexta-feira garantem volatilidade

Agência Estado - Texto atualizado às 13h15

26 de setembro de 2014 | 10h18

Depois de fechar em alta de quase 2% na quinta-feira, mesmo com atuação do Banco Central no mercado de câmbio futuro, o dólar alcançou o patamar de R$ 2,43. Nesta sexta-feira, 26, a moeda abriu o dia em viés de alta ante o real. Mas perdeu força com a realização de lucros e após o Banco Central vender 15 mil contratos de dólar para outubro.

Na máxima do dia, às 9h51, o dólar atingiu a cotação de R$ 2,4430, em alta de 0,53%. Por volta de 13h13, estava na mínima, cotado a R$ 2,4170, em queda de -0,53%. Os operadores esperam um dia de grande volatilidade.

O dólar abriu o dia já na expectativa da divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no segundo trimestre. Em termos anualizados, o PIB do EUA cresceu 4,6% no segundo trimestre, dentro das expectativas de analistas. O resultado esquenta a discussão sobre como a maior economia do mundo, via Federal Reserve (Fed), vai mexer nas taxas de juros a partir do ano que vem.

No Brasil, já se comenta nas mesas de câmbio que o Banco Central possa ampliar sua atuação no mercado de câmbio, diante do atual cenário de maior volatilidade cambial, trazida pelas incertezas econômicas e geopolíticas no cenário externo e o quadro eleitoral no Brasil. Uma pesquisa Datafolha é esperada a partir de hoje e pode nutrir novas especulações.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.