Dólar volta a subir, mas registra baixa na semana

Divisa dos EUA fecha em alta de 0,54%, a R$ 2,239, e cai 1,24% na semana, enquanto no ano acumula ganho de 9,49%

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

19 de julho de 2013 | 17h40

O dólar retomou a valorização sobre o real nesta tarde, com investidores voltando a comprar a moeda norte-americana após duas sessões de queda. A divisa dos EUA fechou a sessão desta sexta-feira, 19, em alta de 0,54%, a R$ 2,2390, embora o Banco Central tenha feito novo leilão de swap (equivalente à venda de dólares no mercado futuro). Na semana, acumulada queda de 1,24%, enquanto no ano tem ganho de 9,49%.

"Após a queda recente, alguns players domésticos aproveitaram para recompor posições, já que o dólar ficou em um nível mais barato", observou o gerente de câmbio da Correparti Corretora, João Paulo Corrêa.

Na máxima do dia, o dólar alcançou R$ 2,2420 (+0,67%), na mínima, após a abertura, bateu R$ 2,2160 (-0,49%). O avanço foi contido à tarde quando a cotação alcançou R$ 2,24. O valor, segundo Corrêa, deixou de ser atrativo para recompor posições. "Nesse nível, não tem mais força para subir, pois o preço fica alto para compra."

Outro operador comentou que "atualmente, no Brasil, não há motivo para o dólar se manter em baixa. Quando o Banco Central sai de cena, voltamos para a tendência natural, que é altista". Na visão dele, a alta do dólar no ano reflete a baixa atratividade da economia brasileira para a entrada de capital estrangeiro. Isso se soma, conforme o operador, à percepção cada vez mais iminente do início da retirada de estímulos monetários por parte do Federal Reserve, o banco central norte americano, que começaria com a redução gradual do programa de compra de bônus neste ano.

Durante a manhã, o Banco Central chegou a intervir no mercado de câmbio por meio de um leilão de swap cambial - o segundo em dois dias. Mas a operação não chegou a definir a cotação da divisa. O Banco Central vendeu todos os 20 mil contratos de swap cambial ofertados.

Perto das 17h05, a clearing de câmbio da BM&F registrava giro financeiro de US$ 2,228 bilhões. O dólar pronto na BM&F teve alta de 0,56%, a R$ 2,2370, com apenas um negócio. No mercado futuro, o dólar para agosto era cotado a R$ 2,2460, com ganho de 0,54%.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.