Dow Jones atinge novo recorde de pontos

A alta de 5% das ações da Wal-Mart impulsiona os ganhos do índice Dow Jones da Bolsa de Nova York, que atingiu às 11h37 (de Brasília) um novo recorde, durante o pregão, de 12.085 pontos, segundo cotações da Comstock. Às 12 horas, o Dow Jones subia 0,65%, para 12.080 pontos. O Nasdaq ganhava 0,71% e o S&P 500, 0,36%. Os papéis da rede de varejo Wal-Mart reagiam ao anúncio do planos da empresa para o próximo ano. A companhia informou que reduzirá o ritmo de crescimento de seus gastos com capital e de ampliação do espaço para o varejo, com a companhia se esforçando para equalizar seus custos com a expectativa de esfriamento das vendas e de aumento mais contido de seus lucros. O executivo financeiro da Wal-Mart, Tom Schoewe, afirmou que a companhia deve ter um crescimento com gastos com capital entre 2% e 4% no ano fiscal de 2008. Esse incremento é inferior ao crescimento de 15% a 20% dos gastos com capital feito este ano. A Wal-Mart deve ampliar a sua área para atendimento ao varejo em torno de 8% este ano, reduzindo a taxa de expansão para 7,5% no próximo ano. Mesmo assim, a Wal-Mart pretende acrescentar mais 600 novas lojas nos EUA e no exterior no próximo ano, sem considerar qualquer aquisição. Os papéis da Caterpillar, que sugaram o Dow Jones para o negativo na sexta-feira, subiam mais de 1%. As ações da Caterpillar caíram 14,52%, na sexta-feira, o que correspondeu a uma perda de US$ 6,4 bilhões em valor de mercado e a uma redução de mais de 100 pontos no índice Dow Jones. A AT&T era negociada em baixa. A gigante de telecomunicações anunciou lucro líquido de US$ 0,63 por ação, superando o US$ 0,58 previsto por analistas. Mas o faturamento ficou levemente abaixo do esperado. Os papéis da Ford Motors cediam 1,5%, após a montadora anunciar que republicará seus balanços dos últimos cinco anos para corrigir sua contabilidade com derivativos. As correções afetarão, principalmente, seu resultado do terceiro trimestre, cujos resultados preliminares foram divulgados hoje. A queda do petróleo também ajudava a impulsionar o mercado acionário. O contrato futuro do petróleo para dezembro cedia 1,40%, para US$ 58,53 por barril, na Nymex. Os analistas afirmavam que a cautela associada ao encontro do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) deve começar a exercer pressões no mercado, mas o consenso converge para a manutenção da taxa básica de juros nos EUA em 5,25%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.