Dow Jones cai 1,90% e fecha abaixo de 11 mil pontos

Outros importantes índices do mercado americano também cederam: S&P 500 recuou 2,34% e Nasdaq, 2,04%

Regina Cardeal, da , Agência Estado

27 de abril de 2010 | 18h27

O rebaixamento do rating de crédito da Grécia para o grau especulativo ("junk") provocou a maior queda em um só pregão em mais de dois meses na Bolsa de Nova York, fazendo o índice Dow Jones fechar abaixo de 11 mil pontos. A agência de classificação de risco S&P também rebaixou o rating de Portugal, desencadeando temores de contágio dos problemas da dívida na Europa.

O euro caiu forte em relação ao dólar, pesando sobre os preços do petróleo e de outras matérias-primas (commodities). Isso, por sua vez, atingiu negativamente as ações dos produtores de matérias-primas, exacerbando os declínios dos principais índices acionários, que viram suas perdas se acelerarem na meia hora final de pregão.

O Dow Jones interrompeu uma série de seis pregões de alta ao fechar em queda de 213,04 pontos, ou 1,90%, em 10.991,99 pontos. Foi o pior declínio tanto em pontos quanto em porcentual desde 4 de fevereiro deste ano. A queda, que deixou o Dow Jones em seu menor nível desde 8 de abril, também foi a quarta maior em um só dia este ano. No entanto, o índice ainda acumula alta de 5,41% no ano.

O declínio do Dow Jones foi liderado por alguns de seus componentes mais sensíveis ao cenário econômico. Caterpillar caiu 4,4%. Alcoa perdeu 4,3%. DuPont declinou 3,8%, embora a companhia química tenha informado que seu lucro no primeiro trimestre mais do que dobrou. A 3M foi a única ação do Dow Jones a terminar em alta, de 0,6%. O lucro da companhia subiu 79% no primeiro trimestre.

A onda de vendas desta terça-feira foi alimentada sobretudo pela decisão da Standard & Poor´s de cortar o rating da Grécia de BBB+ para BB+, afirmando que a retirada do grau de investimento do país é resultado da avaliação atualizada dos "desafios políticos, econômicos e orçamentários que o governo da Grécia enfrenta em seus esforços para colocar o encargo da dívida pública numa trajetória sustentada de queda".

O índice S&P 500 fechou em baixa de 28,34 pontos, ou 2,34%, em 1.183,74 pontos, ficando bem abaixo do nível-chave de 1.200 pontos e em seu menor patamar desde 7 de abril. O índice Nasdaq caiu 51,48 pontos, ou 2,04%, para 2.471,47 pontos, seu nível mais baixo desde 13 de abril.

O setor financeiro também declinou nesta terça-feira em que os senadores acusaram o Goldman Sachs de fazer um cassino fraudulento e enganar os clientes, numa audiência em que o modelo de negócios da mais invejada firma de Wall Street foi colocado em julgamento. A audiência no subcomitê permanente de investigações do Senado ficou entre os mais destacados atritos entre Wall Street e o Congresso, que está discutindo a reforma do sistema financeiro na esteira de crise de 2007-2008.

As ações do Goldman conseguiram fechar em alta de 0,7%, mas outros bancos caíram forte. Morgan Stanley recuou 3,3%, JPMorgan cedeu 3,4% e Bank of America caiu 3,2%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.