Dow Jones cai e Nasdaq sobe no início do pregão em NY

O índice Dow Jones da Bolsa de Nova York abriu em baixa e recuava 0,09% às 11h33. O índice Nasdaq tomou direção oposta e subia 0,24%. O pregão deve ser marcado pela volatilidade, sinalizada pelos índices futuros, que oscilaram pelos dois territórios nesta manhã e mostram uma falta de convicção e sincronia. Após a divulgação de dois dados relativamente positivos sobre a economia norte-americana, os índices perderam vigor. O PIB norte-americano do quarto trimestre de 2005 foi revisado para crescimento de 1,7%, em base anualizada, em linha as projeções de expansão superior à taxa de 1,6% calculada anteriormente pelo Departamento do Comércio. Além disso, o índice de preços dos gastos com consumo pessoal (PCE) no quarto trimestre foi revisado em alta, de 2,7% para 2,9%. Os pedidos de auxílio-desemprego, por sua vez, caíram 10 mil na semana passada em comparação à semana anterior, ante a previsão de aumento de 3 mil. Mas o nível de pedidos continuou em 302 mil, da semana até 18 de março, cujo nível foi revisado em alta para 312 mil. Dados bons podem respaldar a análise de que as empresas terão estofo para fazer frente à expectativa de alta da taxa de juros. Essa tese vingou ontem. Mas a leitura pode ser negativa, na medida em que números bons dão suporte para que esse ciclo de aperto monetário seja prolongado. Há duas interpretações e cada dia o mercado tem olhado uma delas. No pré-mercado, as ações do Google apareciam como uma das mais ativas. As ações da Google cediam 2%, após a empresa informar que registrará na SEC a venda de 5,3 milhões de papéis, que tem um valor atual de US$ 2 bilhões. A emissão tem o objetivo de atender à demanda por fundos de índice que precisam comprar ações da empresa, após a inclusão do papel no índice Standard & Poor´s 500 no final do mês. As previsões da Nokia de crescimento de 15% da demanda global por celulares em 2006 devem impulsionar ativos do setor e de fornecedoras. No pré-mercado, a Motorola, concorrente direta da Nokia subia 1,5%. Com informações da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.