Dow Jones cede 0,11% e Nasdaq sobe 0,14%

Os índices de ações das Bolsas de Nova York vão em direções divergentes nos primeiros negócios do pregão de hoje. Enquanto o Dow Jones cedia 0,11% às 10h39, o Nasdaq avançava 0,14%. Os investidores movimentam-se com a incerteza sobre o tom do comunicado do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a ser divulgado hoje à tarde e uma certa decepção com o faturamento da Boeing, sendo compensados, em partes, pelos resultados positivos da General Motors e Amazon. O Fed deve divulgar sua decisão por volta das 15h15, com os analistas prevendo que a taxa de juros seguirão inalteradas em 5,25% ao ano. Mas o comunicado que acompanha a decisão desperta cautela, diante da expectativa de que pode carregar um tom mais preocupado em relação às pressões inflacionárias. Antes do anúncio do Fomc, os investidores terão os dados de vendas de imóveis usados em setembro para esmiuçar. O dado sai às 11 horas, mesmo horário de divulgação do índice de atividade do Federal Reserve de Chicago. As ações da General Motors reduziam a alta para 1% nas operações pré-mercado, depois de a montadora anunciar seu balanço do terceiro trimestre. A GM informou que obteve prejuízo menor no terceiro trimestre, graças ao desempenho de suas operações com automóveis na América do Norte e a benefícios associados a impostos. O prejuízo da montadora caiu para US$ 115 milhões ou US$ 0,20 por ação no terceiro trimestre, depois de computar prejuízo de US$ 1,66 bilhão ou US$ 2,94 por ação no mesmo trimestre do ano anterior. As receitas subiram 3,5% para US$ 48,82 bilhões. Os analistas ouvidos pela Thomson Financial previam lucro de US$ 0,49 por ação e receitas de US$ 38,84 Bilhões. Os esforços de revitalização da companhia ganharam impulso nos últimos meses. Em junho, a GM anunciou que cerca de 35 mil funcionários pagos por hora concordaram em receber os incentivos financeiros oferecidos para deixar a montadora, o que a permitiu cumprir a meta de cortes antes do planejado e elevar suas economias de custos para US$ 5 bilhões este ano. Ainda assim, em meio à persistente concorrência das fabricantes japonesas, a GM viu suas vendas caírem 3%, para 2,3 milhões de veículos em todo o mundo no terceiro trimestre do ano. Esse declínio se soma ao de 2,3% registrado no primeiro semestre e contrasta fortemente com o desempenho da Toyota. Os papéis da DaimlerChrysler subiam 3,7%% no pré-mercado, com a divulgação esta manhã de que a queda em seu prejuízo, de 37%, não foi tão profunda quanto se esperava. A queda no lucro, que foi de 541 milhões de euros no terceiro trimestre, foi provocada por perdas expressivas na divisão norte-americana Chrysler Group, elevação nos impostos e outros problemas financeiros. A Boeing cedia quase 1%, no pré-mercado, após a companhia informar queda de 31% em seu lucro líquido no terceiro trimestre, para US$ 694 milhões ou US$ 0,89 por ação, enquanto as receitas subiram 19%, para US$ 14,74 bilhões. Para 2006, a Boeing estima lucro entre US$ 2,40 a US$ 2,50 por ação; para 2007, o lucro deverá subira para US$ 4,45 e US$ 4,65 por ação. A previsão atual dos economistas para o lucro em 2006 é de US$ 2,43 por ação e em 2007 de US$ 4,70 por ação, em média. A Amazon.com subia 12%, após anunciar, ontem, que suas vendas cresceram 24% no último trimestre, embora o seu lucro tenha caído. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.