Dow Jones cede 0,47% e Nasdaq perde 0,48% na abertura

As bolsas americanas abriram em baixa, consolidando a indicação negativa das negociações eletrônicas dos índices no mercado futuro. O viés de baixa ocorre após a divulgação de dados que apontaram inflação acima da esperada em janeiro nos EUA. Na abertura, o índice Dow Jones perdia 0,47% e o Nasdaq, 0,41%. "A divulgação do dado se enquadra no cenário de risco e ampliará a pressão para que o Fed retenha as suas credenciais de combatente da inflação. Espere por uma retórica mais dura", comentou a estrategista de renda fixa da RBC Capital Markets, T.J.Marta. "A variação mais alta está consistente com o nosso modelo de pressões mais aceleradas até o segundo trimestre, quando prevemos que as pressões de preço devem se desacelerar", comentou. No pré-mercado, as ações da Hewlett-Packard Co., líder mundial na venda de computadores pessoais, cediam 1,5%, após terem subido ao maior nível em seis anos. A empresa traçou, ontem à noite, projeções que desagradaram investidores, a despeito de seu lucro no último trimestre ter superado as projeções dos analistas. A HP informou que suas vendas no trimestre atual devem ficar em torno de US$ 24,5 bilhões, o que representará um crescimento de 11% ante o ano passado, mas indicará uma queda ante os US$ 25,1 bilhões do primeiro trimestre encerrado em 31 de janeiro, de acordo com comentários do executivo-chefe, Mark Hurd. O lucro, excluindo alguns custos, deve girar em torno de US$ 0,63 a US$ 0,64 por ação, na comparação com o ganho de US$ 0,64 previsto por analistas. As projeções levantaram dúvidas sobre a capacidade de a Hewlett-Packard manter o seu recente crescimento de vendas e lucro. Na temporada de vendas de fim de ano e durante as férias, a HP conquistou clientes da Dell Inc. ao oferecer produtos com custo mais baixo. Ontem, o Dow Jones fechou em alta de 0,15%, enquanto o Nasdaq subiu 0,67%. O S&P ganhou 0,22%. Na segunda-feira, o Dow Jones avançou 0,02%, enquanto o Nasdaq cedeu 0,03% e o S&P 0,09%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.