Dow Jones E S&P 500 fecham em queda após dia volátil

As bolsas de Nova York fecharam majoritariamente em queda nesta segunda-feira, após uma sessão volátil em um dia sem indicadores econômicos importantes nos EUA e em meio às expectativas com o discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, na sexta-feira.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

27 de agosto de 2012 | 18h25

O índice Dow Jones perdeu 33,30 pontos (0,25%), fechando a 13.124,67 pontos. O S&P 500 teve retração de 0,69 ponto (0,05%), fechando a 1.410,44 pontos. E o Nasdaq avançou 3,40 pontos (0,11%), fechando a 3.073,19 pontos.

A bolsa eletrônica foi impulsionada pelas ações da Apple, que subiram 1,88% e fecharam na máxima histórica de US$ 675,68. Na sexta-feira, após o fechamento mercado, a Justiça dos EUA deu ganho de causa à Apple em uma disputa sobre patentes com a sul-coreana Samsung, que foi condenada a pagar US$ 1,05 bilhão à fabricante do iPhone e iPad. O Google, fabricante do sistema operacional Android, utilizado nos celulares da Samsung, perdeu 1,39%. Já a Nokia, que produz smartphones que utilizam a plataforma Windows, avançou 5,52% em Nova York.

Estrategistas afirmam que muitos participantes do mercado estão em modo de espera, aguardando pelo discurso de Bernanke durante a conferência anual de Jackson Hole, que reúne presidentes de bancos centrais. "O mercado está focado apenas no discurso de Bernanke", afirma Steve Sosnick, gestor de risco da corretora Timber Hill.

Na agenda de indicadores, o Fed de Dallas divulgou que seu índice de atividade manufatureira subiu para -1,6 em agosto, de -13,2 em julho. No noticiário corporativo, as ações da Dollar Thrifty subiram 7,51%, após a companhia de aluguel de automóveis concordar em ser adquirida pela Hertz Global, em um acordo de quase US$ 2,6 bilhões. A Hertz avançou 8,06% hoje.

Já a fabricante de softwares corporativos Kenexa disparou 41,37%, após ser comprada por US$ 1,3 bilhão pela IBM, que caiu 1,05%. As ações do M&T Bank subiram 4,60%, após o banco comprar o Hudson City Bancorp por quase US$ 3,7 bilhões. Os papéis da instituição comprada registraram valorização de 15,68%.

E a Best Buy ganhou 3,24%, após concordar que seu fundador, Richard Schulze, forme um grupo de investimento e reveja informações financeiras antes de fazer uma possível oferta pela varejista de eletroeletrônicos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.