Dow Jones recua, mas Nasdaq termina no maior nível desde dezembro de 2007

Operadores lembram que preocupações quanto à dívida soberana de alguns países europeus diminuíram durante o dia

Renato Martins, da Agência Estado,

20 de dezembro de 2010 | 20h12

O mercado norte-americano de ações fechou com os principais índices em direções divergentes, o Dow Jones em baixa e o Nasdaq e o S&P-500 em alta. Operadores  disseram que as quedas das ações da American Express e da Boeing puxaram o Dow para baixo. O Nasdaq, impulsionado por papéis de tecnologia, fechou no nível mais alto desde 31 de dezembro de 2007.

Operadores observaram que as preocupações quanto à dívida soberana de alguns países europeus e os temores em relação a possíveis consequências de um exercício militar da Coreia do Sul na região da fronteira com a Coreia do Norte diminuíram durante o dia.

Entre as componentes do Dow, as ações da American Express fecharam em queda de 3,43%; os analistas da Stifel Nicolaus disseram que a empresa "está mais exposta" à reformulação das normas para cobrança de tarifas sobre transações com cartões de crédito e de débito, proposta no fim da semana passada pelo Fed. As da Boeing caíram 2,71%, depois de o executivo-chefe da Qatar Airways dizer que poderá cancelar suas encomendas do jato 787 Dreamliner se houver novos adiamentos para a entrega dos aparelhos.

As ações do banco de investimentos Jefferies caíram 1,58%, depois da divulgação de seu informe preliminar de resultados do quarto trimestre fiscal (setembro/novembro).

O índice Dow Jones fechou em queda de 13,78 pontos (0,12%), em 11.478,13 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 6,59 pontos (0,25%), em 2.649,56 pontos. O S&P-500 fechou em alta de 3,17 pontos (0,25%), em 1.247,08 pontos. O NYSE Composite fechou em alta de 11,65 pontos (0,15%), em 7.846,96 pontos.

Os preços dos títulos de médio e longo prazo do Tesouro dos EUA chegaram ao fim do dia em leve baixa, com correspondente alta nos juros; os das T-notes de 2 anos caminharam na direção oposta. Traders disseram que os preços dos Treasuries operaram em alta durante boa parte da sessão, em dia marcado por duas operações de compra de títulos do Tesouro pelo Federal Reserve. O movimento foi revertido no fim da sessão.

O volume de negócios foi reduzido, o que deve se repetir até o fim da semana. "Há algum ajuste de posições, mas a liquidez está secando", disse o trader Kevin Walter, da BNP Paribas Securities.

O Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) voltará a comprar Treasuries nesta terça-feira e a expectativa no mercado é de que ele compre de US$ 1,5 bilhão a US$ 2,5 bilhões em títulos, em uma única operação.

No fechamento em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 4,437%, de 4,425% na sexta-feira; o juro das T-notes de 10 anos estava em 3,329%, de 3,325% na sexta-feira; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,593%, de 0,609% na sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.