Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Draghi pressiona euro e dólar cai ante iene

O dólar subiu ante o euro e caiu frente ao iene nesta quarta-feira, 26. A moeda norte-americana foi pressionada por expectativas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) adie a redução nas compras de bônus, após uma forte revisão para baixo no Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre. O euro, por sua vez, foi prejudicado por comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, de que a política monetária continuará acomodatícia no futuro próximo.

Agencia Estado

26 de junho de 2013 | 18h56

No fim da tarde em Nova York, o euro caía para US$ 1,3011, de US$ 1,3079 no fim da tarde da véspera. O dólar recuava para 97,70 ienes, de 97,81 ienes; enquanto a moeda comum europeia declinava para 127,13 ienes, de 128,06 ienes. A libra esterlina tinha queda para US$ 1,5314, de US$ 1,5422. O dólar subia para 0,9432 franco suíço, de 0,9372 franco suíço. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de rivais, avançava para 74,599 pontos, de 74,390 pontos.

O Departamento do Comércio dos EUA divulgou mais cedo sua terceira e última leitura do PIB no primeiro trimestre. A taxa de crescimento anualizada foi cortada de 2,4% para 1,8%. Os investidores entenderam que o dado pode adiar o início da redução nos estímulos fornecidos pelo banco central.

"A revisão para baixo no PIB fez alguns investidores acreditarem que, talvez, a redução nas compras de bônus não seja tão iminente quanto parecia na semana passada. Isso é especulação, porque se o Fed espera uma aceleração do crescimento nos próximos trimestres, essa correção pode não ter sido uma surpresa para eles", comenta Stuart Freeman, estrategista-chefe de ações da Wells Fargo Advisers.

Na Europa, Draghi reiterou que a política monetária na zona do euro continuará acomodatícia no futuro próximo. O comentário foi ecoado por outros membros do conselho do banco central, como o alemão Jörg Asmussen e o francês Cristian Noyer.

"Simplesmente não há razão para comprar euro no momento. Existem grandes problemas na zona do euro que não parecem estar sendo resolvidos e, ao mesmo tempo, muito pouca expectativa de crescimento", afirmou Ken Jakubzak, diretor da KMJ Capital. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarieneeuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.