Drama fiscal nos EUA enfraquece dólar ante real

Fraqueza da moeda norte-americana no exterior desencadeada pela crise no governo de Barack Obama derruba dólar no mercado brasileiro

Luciana Antonello Xavier e Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

16 de outubro de 2013 | 09h33

SÃO PAULO - O dólar abriu em queda ante o real no mercado à vista, acompanhando a fraqueza da moeda observada no exterior. 

A baixa do dia foi acentuada ao longo da manhã. Às 12h48 a moeda americana estava na mínima do dia, cotada a RS 2,1600, em baixa de 1,10%

Os mercados mostram mais cautela nesta quarta-feira, à medida que o prazo para os Estados Unidos atingirem o teto da dívida se aproxima sem que um acordo tenha sido fechado entre o governo e o Congresso. Com isso, o dólar se enfraquece ante as principais rivais, operando em queda ante o euro e o franco suíço e perto da estabilidade, com viés de baixa, em relação à maioria das moedas emergentes e ligadas a commodities.

"O dólar está mais fraco hoje no exterior e creio que podemos esperar um mercado mais vendedor", disse um operador de tesouraria de banco.

O dólar à vista no balcão fechou ontem em alta de 0,41%, a R$ 2,1840. No mercado futuro, o dólar para novembro encerrou com baixa de 0,21%, a R$ 2,1870. Segundo esse operador, além dos EUA, o investidor também estará atento aos números de fluxo cambial semanal, que saem às 12h30.

Leilão diário. O Banco Central vendeu todos os 10 mil contratos de swap cambial para 5 de março de 2014 ofertados hoje, no valor de US$ 497,7 milhões. O swap cambial tradicional equivale à venda de moeda no mercado futuro.

Esta operação faz parte do programa de leilões diários no mercado cambial anunciado no dia 22 de agosto e que conta com operações de swap de segunda a quinta-feira, no valor de US$ 500 milhões cada, além de leilão de linha às sextas-feiras, no total de US$ 1 bilhão. Até o fim do ano, o BC espera ofertar cerca de US$ 100 bilhões por meio desses leilões diários.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.