Eike Batista diz hoje quando lançará ações da MMX

O empresário Eike Batista, controlador do Grupo EBX, promete apresentar hoje ao mercado o cronograma para a oferta pública de ações da MMX Mineração e Metálicos S.A., uma espécie de ?mini-Vale do Rio Doce?. A MMX é um conjunto de três ativos de mineração reunidos na forma de sistemas independentes destinados à produção predominantemente de minério de ferro, além de ferro gusa e semi-acabados nos Estados do Amapá, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Além da produção de minério, consta do projeto o desenvolvimento de sistemas de transporte para zonas portuárias de ferrovia, no Amapá, de hidrovia a partir de Corumbá, e por mineroduto no projeto Minas-Rio. Além disso, Eike prevê a construção de terminal de exportação no Rio de Janeiro e no Amapá. Analistas avaliam que a oferta pública de ações foi uma forma de buscar recursos baratos no mercado e dividir o risco considerável do negócio. Avaliam também que esta é uma das grandes apostas de Eike. Em período de silêncio, a direção da MMX não informou a meta de captação, mas analistas estimam em R$ 2 bilhões. O empreendimento tem como foco ?investidores qualificados?. O único prospecto que foi disponibilizado ao mercado informa que os três sistemas poderão explorar volume de 1,2 bilhão de toneladas em reservas de minério. São reservas, por ora, ainda não comprovadas. A empresa tem apenas três concessões de lavras e ainda pesquisa as jazidas para que tenha comprovação dos volumes. A companhia ainda não tem garantia de que são economicamente viáveis. A informação sobre os riscos do empreendimento não foi omitida, pelo contrário. Os riscos estão listados no próprio prospecto apresentado ao mercado no início de junho. O mercado aguarda com ansiedade a oferta. Avaliam que será um interessante teste para o mercado e poderá ser observada a disposição de investidores profissionais em correr riscos. Na última sexta-feira, a MMX apresentou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a ata da reunião do Conselho de Administração, realizada no dia 6. Nela, informa que o capital social da MMX passa a ser representado por um grupo de 2,431 milhões de ações e que fará uma oferta primária de 1.262.590 ações ordinárias. Comunica ainda que pode ampliar esta oferta ao mercado. O cronograma sobre a oferta pública deverá dar maiores detalhes da operação. O preço das ações não foi definido. As ações, que serão vendidas em lotes de pelo menos 100, terão o valor definido quando terminar o período de ?road show?, a apresentação da operação a ser feita ao mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.