Eletrobrás assina amanhã contrato para fornecer gás para térmicas

A Eletrobrás assina amanhã com a Petrobras contrato para o fornecimento de gás natural para as térmicas localizadas em Manaus a partir de 2008. Segundo nota da Eletrobrás, serão contratados cerca de 5,5 milhões de metros cúbicos diários, por 20 anos, o que permitirá a redução do subsídio às térmicas da região, que hoje oneram em cerca de R$ 4,5 bilhões ao ano os consumidores de energia elétrica de todo o País. Esse custo é embutido na conta do consumidor sob a rubrica de Conta de Consumo de Combustíveis (CCC). O gasoduto terá cerca de 700 quilômetros de extensão, ligando Urucu a Coari e esta cidade a Manaus, capital do Amazonas, com investimentos de US$ 800 milhões.Segundo a Eletrobrás, um dos contratos, chamado de upstream, será assinado entre a Petrobras e a Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), estatal controlada pelo governo do Amazonas, com a intervenção da Eletrobrás. A distribuição de gás natural no Brasil é de responsabilidade das companhias controladas pelos governos estaduais. Um outro, chamado downstream, será assinado entre a concessionária Manaus Energia e a Cigás, com a intervenção da Eletrobrás, Eletronorte e Petrobras.Segundo a Eletrobrás, o parque térmico de Manaus conta com 95 unidades geradoras, num total aproximado de 1.200 MW de potência efetiva. Deste total, apenas 870 MW estão disponíveis, sendo a Manaus Energia responsável por 15% das unidades e o restante sob a responsabilidade de produtores independentes.Segundo a Eletrobrás, as obras do primeiro trecho do gasoduto (Coari-Manaus, com 420 km de extensão), serão iniciadas no dia 1º de junho. O segundo trecho (Urucu-Coari) terá 276 km de extensão. O contrato de gás natural para Manaus corresponderá à produção de 1.000 MW firmes, suficiente para atender a uma população de mais de 2 milhões de habitantes até 2010, quando Manaus estiver integrada ao Sistema Interligado Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.