Eletrobras está concluindo negociação para importar energia do Uruguai

O presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, disse neste sábado, 28, que o Brasil está concluindo negociação para importar energia elétrica uruguaia. O comentário foi realizado na cerimônia de inauguração do Parque Eólico Artilleros, em Tarariras, no Uruguai, da qual participam a presidente Dilma Rousseff e o presidente uruguaio José Mujica, que neste domingo, 01, transmite o comando do país a Tabaré Vázquez.

AYR ALISKI E FABRÍCIO DE CASTRO, Estadão Conteúdo

28 Fevereiro 2015 | 13h45

Carvalho Neto disse que depois do sucesso na parceria para interligação das redes de energia em Rivera (Uruguai) e Santana do Livramento (Brasil) está entrando em operação uma nova interligação entre São Carlos (Uruguai) e Candiota (Brasil), elevando a capacidade de intercâmbio para cerca de 600 megawatts. Esta última obra envolve a construção de uma subestação de 500/230kV em Candiota (RS), uma linha de 500kV com 60 quilômetros de extensão até a fronteira com o Uruguai e outra de 230kV, com nove quilômetros, que vai ser conectada com a Subestação Presidente Médici, da Companhia Estadual de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul (CEEE).

"Isso visando a importação de energia para o Brasil, de curto prazo, aproveitando a disponibilidade energética do Uruguai, cujas bacias apresentam quadro de disponibilidade hídrica favorável", disse. Ontem Dilma inaugurou um parque eólico no sul do Rio Grande do Sul.

O presidente da Eletrobras ressaltou também que nos próximos dias haverá a inauguração de novas etapas de interligação da rede de energia elétrica, nos Estados do Amazonas e Amapá. "O Brasil tem um sistema interligado, de Norte Sul, robusto, com uma das matrizes mais limpas do universo", afirmou Carvalho Neto.

Mais conteúdo sobre:
energiaEletrobrasUruguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.