Eletrobras trabalha para reconhecimento de investimento

Armando Casado de Araujo explicou que a estatal possui R$ 1,002 bi em valores investidos, atualmente contabilizados como despesa

ANDRÉ MAGNABOSCO, Estadão Conteúdo

14 de agosto de 2014 | 16h21

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Eletrobras, Armando Casado de Araujo, afirmou nesta quinta-feira que a estatal trabalha para que o reconhecimento de cerca de R$ 1 bilhão em investimento realizado pela companhia "saia o mais rápido possível". O reconhecimento deve ser feito pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Araujo explicou que a estatal possui R$ 1,002 bilhão em valores investidos, atualmente contabilizados como despesa. "Os gastos são investimentos feitos em cima de concessões renovadas. Temos R$ 1 bilhão em ativos, dos quais todas as empresas do sistema estão trabalhando junto à Aneel para rápida regularização disso. No momento de reconhecimento de receita, haverá reversão da provisão", revelou.

Contratos onerosos

Araujo também destacou hoje que o montante detido pela estatal em recursos com contratos onerosos caiu de R$ 3,224 bilhões ao final do ano passado para R$ 2,448 bilhões no encerramento do primeiro semestre. A maior parte da redução dos contratos onerosos veio de contratos referentes às usinas de Jirau e Itaparica.

Em Jirau, houve uma redução de R$ 711,9 milhões para R$ 258,7 milhões no valor de contratos onerosos. O ajuste considera a variação no valor do preço de liquidação das diferenças (PLD) médio histórico de R$ 109,78/MWh para R$ 142,28 /Mwh. No caso de Itaparica, a reversão parcial do contrato oneroso, cujo montante foi reduzido de R$ 863,1 milhões para R$ 192,4 milhões, decorre principalmente da assunção pela Codevasf da Operação e Manutenção da infraestrutura de irrigação de uso comum associado ao projeto.

Tudo o que sabemos sobre:
Eletrobrasinvestimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.