Eletrosul quer iniciar construção de usina no RS até abril

A Eletrosul espera começar entre março e abril a construção da usina de Passo São João (RS). O início das obras depende da licença de instalação da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). A concessão da usina foi obtida em leilão de energia nova realizado em dezembro de 2005 e o investimento está orçado em R$ 260 milhões. A geradora terá potência instalada de 77 megawatts e deve fornecer energia em 2010."A Eletrosul já respondeu aos condicionantes da Fepam", comentou hoje o diretor técnico da empresa, Ronaldo Custódio, depois de realizar visita técnica às obras da subestação Atlântida 2, no litoral norte gaúcho. A entidade ambiental pediu medições complementares e exigências sociais, explicou o diretor, que espera a emissão da licença até março. A estatal planeja disputar a concessão de duas usinas no Paraná: Baixo Iguaçu e Salto Grande, disse Custódio. A exemplo do que ocorreu na disputa por Mauá (PR), a Copel poderá ser sócia da Eletrosul nestes dois projetos, previu o diretor. A obra que a Eletrosul realiza na subestação do litoral norte gaúcho ficará pronta na metade do ano e vai melhorar a confiabilidade do abastecimento na região, descreveu o diretor. Enquanto a subestação não fica pronta, a Eletrosul instalou uma linha provisória de 69 kV entre Osório e Atlântida para compensar o déficit de até 20 MW de suprimento na região e evitar cortes durante o verão. A obra integra um sistema de transmissão que prevê outra subestação em Gravataí, na região metropolitana de Porto Alegre, duas linhas de transmissão e a ampliação da subestação Osório 2. O investimento total será de R$ 142 milhões. Desde 2003, a Eletrosul aplicou R$ 1 bilhão no Rio Grande do Sul, incluindo obras já realizadas e outras que estão em andamento, informou Custódio, que visitou o litoral do Estado acompanhado do presidente da Eletrobrás, Valter Cardeal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.