Em dia de agenda forte, juro abre em baixa na BM&F

Hoje, dia em que a agenda macroeconômica está forte, as principais taxas futuras de juros abriram hoje em baixa. O contrato de depósito interfinanceiro (DI) mais negociado, com vencimento em janeiro de 2008, projetava taxa de 12,39% ao ano, ante 12,41% ao ano do dia anterior na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Os participantes do mercado de juros devem manter-se contidos na expectativa pelo desfecho da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), às 17h15. O interesse dos investidores ficará concentrado no comunicado, que pode ajudar na composição do cenário sobre o rumo da política monetária norte-americana. O que o mercado quer conseguir prever é por quanto tempo o juro dos EUA permanecerá inalterado e qual é a chance de haver, realmente, alguma elevação da taxa no futuro. Antes da decisão FOMC, há uma lista longa e importante de indicadores norte-americanos a serem divulgados. Sairão hoje o PIB do quarto trimestre de 2006, o custo da mão-de-obra no quarto trimestre, índice de atividade industrial de janeiro da Associação dos Gerentes de Compras de Chicago e o indicador de gastos (investimentos) no setor de construção em dezembro, além dos relatórios semanais de petróleo e derivados na semana passada nos EUA. Tudo isso, segundo operadores, pode provocar volatilidade nos mercados, se houver alguma surpresa. Mas, dizem profissionais, dificilmente determinará uma tendência clara, ainda mais em um dia em que ninguém deve assumir posições antes do fim da reunião do FOMC. O mesmo vale para o mercado local. Também está prevista a divulgação de números importantes da economia, como os resultados da sondagem industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Nível de Atividade da Indústria, da Fiesp/Ciesp e do setor público, pelo Banco Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.