Em dia volátil, dólar encerra com ganho de 0,15%

Depois de subir 0,40% na máxima e nada de o BC atuar, a moeda dos EUA fechou a R$ 2,0230

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

23 de abril de 2013 | 17h28

Um sinal de alerta foi acionado no mercado de câmbio nesta terça-feira, 23, quando o dólar avançou 0,40% e atingiu a máxima do dia, a R$ 2,0280. A mesma cotação fez com que o Banco Central (BC) atuasse nos negócios no último dia 27 de março. Desta vez, no entanto, nada de intervenção do BC e o dólar acabou por desacelerar e encerrar as transações com valorização de 0,15%, a R$ 2,0230.

Na mínima, o dólar no balcão chegou a R$ 2,0140 (-0,30%). Perto das 17 horas, o giro financeiro na clearing da BM&F era de US$ 1,865 bilhão. No mercado futuro, o dólar para maio também tinha desacelerado e subia 0,07%, a R$ 2,025. O dólar pronto na BM&F terminou com ganho de 0,42%, a R$ 2,0264, na máxima.

Pela manhã, o dólar chegou a cair, graças a um fluxo de entrada de capitais. O dinheiro, porém, foi rapidamente absorvido pelo mercado e a moeda voltou a subir, influenciada pelo exterior. Pesou negativamente, no humor dos investidores, o sinal de fraqueza da economia chinesa mostrado pela preliminar do índice de gerentes de compras do HSBC (PMI, na sigla em inglês) sobre o setor industrial, que caiu para 50,5 em abril, de leitura final de 51,6 em março.

No meio da tarde, houve uma piora em Wall Street após hackers invadirem a conta da Associated Press e plantarem notícias de uma explosão na Casa Branca. O nervosismo no exterior fez o dólar acentuar ganhos ante o real e outras moedas, como o euro. Mas o efeito desse fato foi pontual e limitado, tanto para as Bolsas como para o dólar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.