Em mês com maior número de negócios, Bolsa movimenta R$ 184 bilhões em setembro

Em mês com maior número de negócios, Bolsa movimenta R$ 184 bilhões em setembro

Movimentação financeira registrou alta de 17,8% em relação a agosto

Eulina Oliveira, O Estado de S. Paulo

03 de outubro de 2014 | 17h22


SÃO PAULO - O segmento Bovespa movimentou em setembro R$ 184,32 bilhões, o que representa um aumento de 17,8% ante os R$ 156,45 bilhões registrados em agosto. A média diária foi de R$ 8,37 bilhões no mês passado, alta de 12,4% sobre R$ 7,45 bilhões do mês anterior. Os números, que mostram aumento de volume e de negócios na Bolsa com a proximidade das eleições foram divulgados há pouco pela BM&FBovespa, em seu balanço de operações.

Em setembro, foram realizados 22.765.248 negócios no segmento Bovespa, crescimento de 23,2% na comparação com as 18.472.578 transações no mês anterior. A média diária de negócios atingiu 1.034.784, avanço de 17,6% ante os 879.647 de agosto.

As ações que registraram maior giro financeiro foram no mês passado foram Petrobras PN, com R$ 28,69 bilhões; Itaú Unibanco PN, com R$ 10,83 bilhões; Vale PNA, com R$ 9,94 bilhões; Petrobras ON, com R$ 9,22 bilhões; e Banco do Brasil ON, com R$ 7,96 bilhões.

Maiores altas. As ações com as maiores altas do Ibovespa em setembro foram: Oi PN (+20%); Fibria ON (+15,29%); Embraer ON (+10,93%); Suzano PNA (+10,44%); e Braskem PNA (+6,23%). As maiores baixas no mês passado foram: Banco do Brasil ON (-27,04%); PDG ON (-26,17%); Rossi ON (-23,94%); ALL ON (-22,91%); e Petrobras PN (-22,53%). Em setembro, o Ibovespa recuou 11,70% aos 54.115 pontos.

O valor de mercado (capitalização bursátil) das 366 empresas com ações negociadas na BM&FBovespa, ao final de setembro, atingiu R$ 2,43 trilhões, queda de 10% em relação ao mês anterior. Em agosto, esse valor era de R$ 2,70 trilhões, referente ao mesmo número de companhias.

Os investidores estrangeiros lideraram a movimentação financeira no segmento Bovespa em setembro, com participação de 52,23%, ante 49,06% em agosto. Na segunda posição, ficaram os investidores institucionais, que obtiveram participação de 27,84%, ante 29,64%. As pessoas físicas movimentaram 14,38%, ante 15,23%. As instituições financeiras registraram 4,44% ante 5,27%; e as empresas, com 1,07% ante 0,70% no mês anterior.

Pessoas físicas. Ao final de setembro, o número de contas de investidores pessoas físicas no mercado de ações foi de 548.620, pouco abaixo do verificado no fim de agosto, quando foi de 551.119.

Em setembro, as empresas listadas na BM&FBovespa pagaram a seus acionistas R$ 2,18 bilhões, recuo de 45% na comparação com o mês anterior. Desse montante, R$ 1,34 bilhão refere-se a dividendos; e R$ 507,87 milhões a juros sobre capital próprio. Em agosto, os valores pagos foram de R$ 3,97 bilhões no total, dos quais R$ 1,86 bilhão em juros sobre capital próprio e R$ 1,74 bilhão em dividendos.

O volume financeiro com empréstimos de ações atingiu R$ 56,69 bilhões no mês passado, recuo de 4,35% ante R$ 59,27 bilhões em agosto. Já o número de operações foi de 118.015, alta de 7% sobre as 110.266 do mês anterior.

O mercado de renda fixa privada da Bolsa, por sua vez, totalizou R$ 20,12 milhões em setembro, queda de 32,2% em relação aos R$ 29,68 milhões em agosto. Deste total, R$ 7,91 milhões foram referentes a debêntures e R$ 11,58 milhões a Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). 

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.