Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em Nova York, bolsas reduzem ganhos após comunicado do Fed

Banco Central dos Estados Unidos não adotou ações imediatas para estimular a economia

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

13 de dezembro de 2011 | 18h13

As bolsas dos Estados Unidos apagaram seus ganhos iniciais, após autoridades do Federal Reserve (Fed) não adotarem ações imediatas para estimular a economia, embora tenham deixado suas opções de política econômica abertas para 2012.

Segundo o comunicado divulgado pelo Fed, nove dos dez membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, em inglês) foram favoráveis à manutenção das políticas atuais - Charles Evans, presidente do Federal Reserve de Chicago, foi o membro dissidente. O banco central norte-americano manteve a taxa de juro de curto prazo na faixa de zero a 0,25% e reiterou que ela deve permanecer nesse intervalo pelo menos até meados de 2013.

O Fed também divulgou que estuda mudanças em sua estratégia de comunicação. Os membros da instituição estão avaliando se devem tornar públicas as previsões internas sobre os juros. Caso adotem essa prática e as estimativas sugiram a manutenção dos juros próximos a zero por mais tempo do que o mercado acredita, as taxas de juro de longo prazo poderiam cair, o que serviria como estímulo adicional à economia dos EUA.

Embora tenha sido cautelosamente mais otimista, a avaliação do Fed da economia foi ainda marcada por "riscos de deterioração significativa". Não há nada nesta declaração que seja inesperado", disse Ben Schwartz, estrategista-chefe de mercado da Lightspeed Financial. "Eu não vejo QE3 (terceira rodada de afrouxamento quantitativo) acontecendo agora. Segundo ele, algo dramático na Europa teria que acontecer, surpreendendo o mercado norte-americano para que o Fed implemente uma terceira rodada de flexibilização quantitativa.

"O mercado precisa de uma confirmação de que o Fed tem uma bala QE3 e está pronto para puxar o gatilho rapidamente, se necessário", disse Daniel Genter, executivo-chefe da RNC Genter Capital Management. "Os investidores querem uma rede de segurança, se algo terrível ocorrer na Europa."

O comunicado divulgado pelo FOMC após a reunião não trouxe indícios sobre o andamento desse debate, dando a entender que o banco central deixou esse assunto para ser resolvido no ano que vem. A ata do encontro, que sairá em três semanas, pode trazer mais detalhes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNYFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.