Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Em NY, índice Dow Jones fecha a 50 pontos do recorde

O mercado norte-americano de ações fechou em alta, com o índice Dow Jones chegando ao fim do dia no nível mais alto do ano e no segundo nível mais alto de todos os tempos (o recorde é em 11,722.98 pontos, alcançado em 14 de janeiro de 2000). O Nasdaq, que subiu em 10 dos últimos 13 pregões, fechou no nível mais alto em quatro anos e meio e o S&P-500 fechou no nível mais alto desde fevereiro de 2001. O mercado reagiu ao índice de confiança do consumidor da Conference Board, que subiu de 100,2 em agosto para 104,5 em setembro. O outro indicador divulgado hoje também foi positivo: o índice de atividade industrial regional do Fed de Richmond subiu a 9 em setembro, de 3 em agosto. "Todo mundo apontou para o índice de confiança do consumidor, que saiu melhor do que se previa, mas houve mais do que isso: tivemos 'embelezamento de vitrines' para o fim do trimestre e tivemos um maior apetite por ações dos setores de tecnologia e serviços financeiros, que têm bastante peso nos índices e ajudaram a puxar o mercado todo para cima", comentou Stephen Sachs, da Rydex Investments. Ele não descarta a hipótese de o Dow Jones estabelecer um novo recorde nos próximos dias: "O que o Dow Jones tem em seu favor é o fato de as ações de grande capitalização estarem em voga neste momento", acrescentou. Ações Entre as componentes do Dow Jones, as ações da Intel subiram 2,83%, depois de a empresa anunciar que começará a entregar em novembro um novo chip para computadores pessoais de alto desempenho. As da General Motors avançaram 2,65%, depois de seu executivo-financeiro-chefe dizer que a empresa vai "continuar a fazer uma avaliação cuidadosa e detalhada" da proposta de uma aliança com Renault e Nissan; segundo ele, as conversações deverão ser concluídas até 15 de outubro. As ações do Altria Group caíram 1,69% e foram , pelo segundo dia consecutivo, as componentes do Dow Jones com pior desempenho; a queda começou em reação a uma decisão judicial desfavorável em um processo contra os fabricantes de cigarros "light". As ações da controladora de universidades Career Education subiram 14%, em reação à renúncia de seu executivo-chefe. As da fabricante de instrumentos cirúrgicos a laser Advanced Medical Optics cederam 16%, depois de a empresa rebaixar sua previsão de lucros. As da eBay, do setor de internet, ganharam 5,5%, em reação a uma recomendação da Goldman Sachs. Índices O índice Dow Jones fechou em alta de 93,58 pontos, ou 0,81%, em 11.669,39 pontos. A mínima foi em 11.572,29 pontos e a máxima em 11.669,95 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 12,27 pontos, ou 0,55%, em 2.261,34 pontos, com mínima em 2.243,67 pontos e máxima em 2.261,78 pontos. O Standard & Poor's-500 subiu 9,97 pontos, ou 0,75%, para 1.336,34 pontos. O Nyse Composite, que reúne todas as ações negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), avançou 53,41 pontos, ou 0,64%, para 8.451,79 pontos. O volume negociado na Nyse ficou em 1,724 bilhão de ações, de 1,763 bilhão ontem; 2.165 ações subiram, 1.163 caíram e 163 fecharam nos mesmos níveis de ontem. No Nasdaq, o volume alcançou 2,060 bilhões de ações negociadas, de 1,882 bilhão ontem, com 1.639 ações fechando em alta e 1.374, em queda. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

26 de setembro de 2006 | 18h27

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.