Em NY, índices de ações reagem e registram ganhos

Dow Jones subiu 0,35%, o Nasdaq avançou 1,12% e o S&P 500,  0,61%

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

23 de setembro de 2011 | 18h09

Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em alta, impulsionados pela cobertura de posições vendidas, mas acumularam queda acentuada na semana, pressionados por receios recentes com a possibilidade de uma nova recessão econômica e de um default da Grécia. "Há pouca confiança no momento", disse Chip Cobb, vice-presidente do Bryn Mawr Trust Asset Management. "Todo mundo está com a mão fechada e esperando alguma coisa acontecer. Infelizmente, ninguém sabe qual será essa coisa", acrescentou.

O Dow Jones subiu 37,65 pontos, ou 0,35%, para 10.771,48 pontos. O Nasdaq avançou 27,56 pontos, ou 1,12%, para 2.483,23 pontos. O S&P 500 teve ganho de 6,87 pontos, ou 0,61%, para 1.136,43 pontos. Na semana, os três índices acumularam queda, puxados pelo S&P 500, que recuou 6,54%, seguido por Dow Jones (-6,41%) e pelo Nasdaq (-5,30%). Foi o pior desempenho semanal do Dow Jones desde a semana encerrada em 10 de outubro de 2008.

"A postura geral é de esperar para ver", disse Wasif Latif, vice-presidente de investimentos em ações da USAA Investment Management. "Para mim, está claro que o mercado não está demonstrando alívio. Se fosse isso, o rali teria sido muito mais forte hoje." Entre os destaques da sessão, o Bank of America subiu 4,13% e liderou a alta entre os componentes do Dow Jones. A Intel avançou 2,50% e a Cisco Systems, 1,83%. A Hewlett-Packard (HP), no entanto, recuou 2,11%, apenas um dia depois de o conselho de administração da companhia ter retirado Leo Apotheker do posto de executivo-chefe, nomeando Meg Whitman para o cargo.

No mercado de Treasuries, os preços caíram, acompanhados por um aumento nos juros, refletindo a realização de lucros após os avanços recentes. "O rali foi um pouco excessivo", disse Thomas Roth, diretor executivo de negócios com bônus dos EUA no Mitsubishi UFJ Securities. "Acho que os juros atingiram um piso por enquanto."

No fim da tarde em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 2,892%, ante 2,798% na quinta-feira; o juro das T-notes de 10 anos estava em 1,833%, ante 1,730%; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,222%, ante 0,218%. Na semana, no entanto, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos encolheu 47 pontos-base, queda semanal mais acentuada desde dezembro de 2008, quando essa taxa despencou por causa da crise financeira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNova YorkGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.