Em sessão volátil, rolagem de derivativos pressiona cotação do dólar

Sessão deve manter volatilidade ao longo do dia, em meio à movimentação dos agentes para defesa de suas posições

Silvana Rocha e Álvaro Campos, Agência Estado - Texto atualizado às 10h26

28 de março de 2014 | 09h49

SÃO PAULO - Depois de abrir em queda de 0,35% nesta sexta-feira, 28, cotado a R$ 2,2590, o dólar à vista no balcão apresenta certa volatilidade na manhã de hoje. A cotação da moeda é pressionada pela rolagem de contratos de derivativos, que vem sendo observada nos últimos dias.

A sessão deve permanecer volátil, em meio à movimentação dos agentes para defesa de suas posições vendidas (bancos) e compradas (estrangeiros e fundos), já que na segunda-feira, 31, será definida a taxa Ptax que liquida os contratos de março.

A mínima do dia até agora foi registrada na abertura.

Por volta de 9h52, o dólar à vista bateu a máxima de R$ 2,270, em alta de 0,13%, mesmo após a venda do lote integral de cerca de US$ 200 milhões em leilão feito pelo Banco Central.

Perto da estabilidade, a moeda americana registrava alta de 0,04% às 10h19, a R$ 2,2680.

Ontem, o dólar fechou na sua menor cotação desde 4 de novembro de 2013, pressionado, entre outros fatores, pela piora na avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff, conforme pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarderivativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.