Em véspera de feriado, Bovespa tem dia de ganhos

Às 12h38, o principal índice da Bolsa registrava alta de 1,08% aos 66.873 pontos

Fátima Laranjeira, da Agência Estado ,

20 de abril de 2011 | 12h54

Na véspera do feriado da Semana Santa, a Bovespa opera em alta, acompanhando o movimento das bolsas externas e puxada pelas ações das empresas de commodities e das incorporadoras. CSN opera em alta, após anunciar a venda de sua participação na Riversdale. MMX também sobe, após a divulgação da data e demais detalhes da oferta pública de permuta para compra das ações da PortX, esta por sua vez, figura entre as mais expressivas quedas do Ibovespa.

Às 12h38, o principal índice da Bolsa registrava alta de 1,08% aos 66.873 pontos, após ter alcançado a máxima de 67.077 pontos (+1,30%) e a mínima de 66.165 pontos (+0,01%). O giro financeiro era de R$ 2,77 bilhões, projetando R$ 7,66 bilhões no final do pregão. Em Nova York, o Dow Jones operava em alta de 1,51%, enquanto o S&P subia 1,33%.

O anúncio de que a CSN vendeu sua participação na Riversdale para a Rio Tinto por US$ 832,692 milhões beneficia as ações da CSN, que sobem 2,08%. "A empresa fica com caixa fortalecido, o que reafirma as expectativas de aumento de participação na Usiminas", avalia o operador da UM Investimentos Eduardo Camargo Oliveira.

Os papéis Usiminas também operam em alta, de 3,26% no ON e de 1,16% no PNA. Ainda entre as siderúrgicas, Gerdau ganha 1,02% e Metalúrgica Gerdau, +0,89%.

As ações da MMX ampliaram a alta há pouco, com o papel subindo 3,16%, após a divulgação do edital do leilão para oferta pública de permuta para aquisição das ações de emissão da PortX. Já o papel da Portx operavam em queda 1,33%, cotado a R$ 3,72, acima do preço por ação previsto na oferta (R$ 3,56). "O papel deve cair ainda mais, já que ele foi precificado a R$ 3,56", avalia Oliveira, da Um Investimentos.

O leilão para oferta pública das ações da PortX ocorrerá em 20 de maio. A MMX pretende adquirir no mínimo 50% mais uma ação até a totalidade das ações da PortX. Os atuais acionistas, Eike Batista e Centennial Asset Mining Fund, que possuem 67,62% das ações, comprometeram-se a aderir à oferta, o que deve viabilizá-la.

Haverá duas opções de pagamento. O acionista pode optar pela permuta de uma ação de PortX por um título de remuneração variável baseado em royalties da MMX e 0,0502351 ação de MMX; ou ainda permuta de uma ação de PortX por um título e dinheiro, com o pagamento de R$ 0,7014326 à vista. Os títulos integralizados terão remuneração em royalties trimestral, calculada para cargas de minério de ferro e demais cargas a partir da entrada em operação do Porto da LLX Sudeste ou de 1º de janeiro de 2013, o que ocorrer primeiro.

Vale e construtoras

As ações PNA da Vale subiam 1,55% e as ON avançavam 1,72%. Ontem a empresa referendou a formação do novo conselho de administração. Dos 11 membros, sete serão reconduzidos aos cargos. Além das duas substituições propostas pela Previ (saem Jorge Luiz Pacheco e Sandro Marcondes e entram Nelson Barbosa e Robson Rocha), foram indicados também novos representantes da trading japonesa Mitsui (sai Ken Abe e entra Fuminobu Kawashima) e dos empregados da Vale (sai Eduardo Fernando Jardim Pinto e entra Paulo Soares de Souza).

Os papéis da PetrobrÁs também operavam com ganhos. Os PN subiam 1,24% e os ON, 1,29%. O petróleo opera em alta de 2,43% na Nymex eletrônica, cotado aos US$ 110,89.

As construtoras operam entre as maiores altas do Ibovespa, continuando o rally de ontem. A expectativa com a divulgação da alta da Selic hoje, após o fechamento do mercado, favorece o setor. "O mercado já precificou a alta dos juros e entende que isso é melhor do que medidas macroprudenciais mais duras, que possam afetar mais fortemente a economia", diz Oliveira.

Rossi lidera as altas do Ibovespa, com ganhos de 5,72%, PDG (+3,53%) e Cyrela (+2,75%) também aparecem entre as maiores elevações do índice. Gafisa opera com valorização de 1,58%; MRV (+2,37%) e Brookfield (+2,75%).

Também entre as maiores altas do índice figuram LLX (+4,80%) e OGX (+2,34%).

As operadoras de telefonia e algumas elétricas operam em queda. "Com a recuperação do mercado, os investidores saem das ações defensivas e voltam para a as commodities", afirma Pedro Galdi, chefe de análise da SLW.

Brasil Telecom PN lidera as quedas do Ibovespa com perda de 5,11%, seguida de Telemar PN (-4,34%), Telemar ON (-2,98%) e Telemar PNA (-2,91%). Hypermarcas também figura entre as maiores quedas, com recuo de 1,88%, seguida de Cemig PN (-1,62%) e Copel PNB (-1,36%).

Tudo o que sabemos sobre:
BolsaBovespaValePetrobrásMMX

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.