Embraer rompe parceria com Kawasaki

A estrutura metálica das asas dos aviões Embraer 190 e 195 deixou de ser produzida pela Kawasaki Aeronáutica do Brasil, subsidiária da japonesa Kawasaki Heavy Industries, na cidade de Gavião Peixoto, no interior paulista. Em um acordo anunciado hoje, a Embraer explicou que a parceria foi rompida para dar mais eficiência na produção destes modelos. A própria Embraer vai fabricar as aeroestruturas, mas não revelou quantas são feitas por mês, nem detalhou os motivos e conseqüências financeiras do fim da parceria com a empresa japonesa.As atividades da Kawasaki Aeronáutica que mantinha uma unidade dentro da Embraer, em Gavião Peixoto serão encerradas em julho e os empregados que trabalhavam na unidade devem participar de um processo de seleção para serem admitidos pela Embraer. Inaugurada em abril de 2003, a empresa investiu inicialmente cerca de US$ 20 milhões na primeira unidade fora do Japão e começou operando com 40 trabalhadores. Apesar da transferência das atividades, a Kawasaki Heavy Industries continuará produzindo as asas para os aviões Embraer 170 e 175 no Japão. Até abril o modelo 190/195, os maiores já fabricados no Brasil, tinham 285 pedidos firmes e 326 opções de compra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.