Emissão de bônus da Telefónica totalizará US$ 5,25 bilhões

O grupo espanhol Telefónica SA estabeleceu o montante da emissão de bônus - que deve ser precificada nesta sexta-feira - em US$ 5,25 bilhões. De acordo com os coordenadores da operação, o resultado da captação deve ficar na ponta menor da orientação (guidance) para preço inicial.A emissão de US$ 1 bilhão em notes de três anos a juros flutuantes deve alcançar spread de 30 pontos-base sobre a taxa Libor de três meses, ficando na ponta menor da orientação inicial de 30-35 pontos-base.A emissão de bônus de cinco anos, estimada em US$ 1 bilhão, deve registrar spread de 105 sobre os títulos do Tesouro norte-americano (Treasuries), também na ponta menor das projeções da empresa, que oscila entre 105-110 pontos-base.Os bônus de 10 anos (US$ 1,25 bilhão), tem expectativa de atingir preço de 145 pontos-base sobre os Treasuries, ante orientação de 145-150 pontos-base.Como total estimado em US$ 2 bilhões, a emissão de bônus com vencimento em 30 anos é a maior e deve ter um spread de 195 pontos-base sobre os Treasuries, com orientação inicial entre 195-200 pontos-base.A Telefónica contratou o Citigroup, Lehman Brothers, Deutsche Bank e Crédit Suisse para coordenar a operação. A Standard & Poor's Corp. e a Fitch Ratings recentemente rebaixaram o status de crédito da Telefónica de "A-" para "BBB+" depois que o grupo completou a aquisição da O2, criando o segundo maior grupo de telecomunicações da Europa. Enquanto isso, a Moody's Investors Service Inc. afirmou o rating de crédito da Telefónica em "Baa1". As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

09 de junho de 2006 | 12h11

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.