Emissão do ICBC já afeta bolsas de Hong Kong e China

A Bolsa de Hong Kong fechou hoje com leve alta, ajudada pelo recorde de pontos no índice Dow Jones da Bolsa de Nova York. O índice Hang Seng registrou elevação de 0,12%, apesar das vendas de ações dos bancos chineses, realizadas para abrir espaço à oferta pública inicial do Industrial & Commercial Bank of China (ICBC). A emissão do ICBC será feita em Hong Kong e Xangai e deve ser a maior do mundo, totalizando cerca de US$ 19 bilhões. Na Bolsa de Xangai, os investidores também começaram a mobilizar seus recursos para subscrever as ações do ICBC, o maior banco do país em volume de ativos. Esse movimento fez com que o índice Xangai Composto encerrasse em queda de 0,8% e o no índice Xangai Composto e Shenzhen Composto, de 0,4%. Os papéis mais prejudicados foram os das companhias aéreas. Os da Air China recuaram 3,2%. Mas os investidores também procuraram reduzir sua exposição em outras empresas, como a China Petroleum & Chemical, que perdeu 1,8%. O prazo de subscrição das ações do ICBC vai até quinta-feira. O dólar se valorizou frente ao yuan e, no sistema automático de preços, a moeda norte-americana fechou a 7,9110 yuans, contra 7,9010 yuans na sexta-feira. Mas o superávit comercial chinês e as reservas do país alimentam a expectativa de valorização da moeda local. No dia 24, a China deve divulgar o crescimento do PIB no terceiro trimestre. A projeção dos economistas indica um crescimento menor do que os 11,3% do segundo trimestre. As ações das empresas ligadas ao setor de minérios continuaram a impulsionar o mercado australiano, juntamente com as especulações em torno de uma possível venda de ativos do grupo de mídia Publishing & Broadcasting e de uma fusão envolvendo a cervejaria Foster´s Group. O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney subiu 0,4%, aos 5.311 pontos. Os operadores estão confiantes de que haverá um novo recorde no total de pontos do índice nas próximas semanas, antes do Natal. A maior contribuição para a alta desta segunda-feira veio da BHP Billiton, que avançou 3,2%. Publishing & Broadcasting aumentou 2,2% e a Foster´s Group fechou com alta de 2,4%. O índice Taiwan Weighted da Bolsa de Taipé, em Taiwan, avançou 1,1%, aos 7.151,42 pontos, seu maior nível dos últimos cinco meses. Ações das empresas do setor de turismo e de construção lideraram a alta, em meio às especulações de que o governo levantará restrições à entrada de turistas chineses e aos investimentos de cidadãos chineses na ilha. Empresas de tecnologia também tiveram fortes ganhos, como reflexo das expectativas em torno de seus resultados no terceiro trimestre. A aprovação do Conselho de Segurança das Nações Unidas à imposição de sanções contra a Coréia do Norte foi o fator mais significativo para a alta da bolsa sul-coreana. O índice Kospi da Bolsa de Seul aumentou 0,6%. Também contribuíram para a alta a divulgação dos bons resultados da Samsung Electronics no terceiro trimestre e a tendência positiva das principais bolsas mundiais. Os papéis da Samsung se valorizaram 0,9%. O índice PSE Composto da Bolsa de Manila, nas Filipinas, terminou o pregão de hoje com alta de 1,1% e 2.584,20 pontos, o maior nível em mais de cinco meses. O setor de telecomunicações foi o destaque do dia, devido à expectativa de fortes ganhos no terceiro trimestre. As ações da Philippine Long Distance Telephone (PLDT) lideraram a alta, com um avanço de 2,3%. Globe Telecom subiu 1,4% e Ayala Corp aumentou 1%. Na Malásia, o índice composto de 100 blue chips encerrou em alta de 0,03%. Na Bolsa de Cingapura, o índice Strait Times fechou o pregão com ganhos de 0,11%. O índice JSX Composto, da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, terminou a sessão com perda de 0,66%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.