Empréstimos para setor imobiliário chinês sobem 33% de janeiro a setembro

Novos financiamentos para compra de imóveis totalizaram 1,72 trilhão de yuans no período

Danielle Chaves, da Agência Estado,

26 de outubro de 2010 | 09h11

O Banco do Povo da China (PBOC, na sigla em inglês) informou que os empréstimos em circulação para o setor imobiliário subiram 32,9% até o fim de setembro, em relação há um ano - 5,2 pontos porcentuais menores do que o aumento anual registrado até o fim de 2009.

Os novos empréstimos para o setor imobiliário durante o período de janeiro a setembro totalizaram 1,72 trilhão de yuans, dos quais 160,2 bilhões de yuans foram destinados a desenvolvimento de terrenos, 399 bilhões de yuans foram para  desenvolvimento de imóveis e 1,16 trilhão de yuans seguiram para compras de imóveis individuais.

Paralelamente, o governo municipal de Pequim restringiu nesta terça-feira o uso que as incorporadoras fazem dos recursos gerados pela venda de casas não concluídas. As incorporadoras terão de aplicar tais recursos em uma conta bancária supervisionada que será usada para a construção do projeto e garantir que não terão mau uso, o que poderia adiar a conclusão do projeto. A medida terá efeito a partir de 1º de dezembro.

Economistas e investidores estão observando atentamente o mercado imobiliário chinês em busca de sinais de uma possível desaceleração, depois que o governo da China introduziu uma série de medidas, em abril e setembro, para estabilizar o forte crescimento do mercado. Entre as ações estão a exigência de um pagamento inicial maior na compra de imóveis, a suspensão dos empréstimos para aquisição de terceira residência e a penalização de incorporadoras que acumulam terrenos.  As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.