Enquanto Paris cai 0,40%, Londres fecha em alta de 0,44%

O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 25,7 pontos (0,44%), em 5.858,7 pontos. A alta foi liderada pelas ações do setor de telecomunicações, depois de o jornal The Times dizer que dois grupos de investidores poderão se unir para tentar comprar o BT Group com uma oferta de 20 bilhões de libras (US$ 35 bilhões). As ações da BT subiram 6,01%. As da Vodafone avançaram 8,48%, depois de a empresa anunciar que pretende vender sua subsidiária no Japão. No setor financeiro, as ações do Standard Chartered caíram 2,62%, em reação a um rebaixamento de recomendação pelos analistas do JP Morgan. As do Lloyds TSB recuaram 1,13%, depois de rebaixamento de recomendação pela Goldman Sachs. As ações da rede de pubs JD Wetherspoon caíram 4,3%, depois de a empresa anunciar que as vendas em seus bares - onde fumar passou a ser proibido - caíram 7,6% no semestre fiscal encerrado em janeiro. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em queda de 19,94 pontos (0,40%), em 4.989,15 pontos. O CAC chegou a cair a 4.966 pontos, em reação ao alerta de queda nos lucros feito pela norte-americana Intel, mas recuperou terreno no fim do pregão. As ações da Arcelor subiram 2,50%, devido às especulações de que a US Steel poderia comprar a AK Steel (o que faria crescer a pressão para que a Arcelor aceitasse a oferta feita pela Mittal Steel). As da LVMH (Louis Vuitton-Moët-Hennessy) avançaram 1,58%, em reação a elevações de recomendação pelos analistas da WestLB e do JP Morgan. As da Accor, do setor hoteleiro, subiram 1,18%, em reação ao informe de que a empresa pode vender sua participação na rede de agências de viagem Carlson Wagonlit. Entre as ações que mais caíram estavam AXA (-1,83%) e Michelin (-1,49%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.