ESI afirma que é incapaz de pagar suas dívidas

O Espírito Santo International afirmou que sua reestruturação "será em prol dos melhores interesse de seus credores"

Agência Estado

18 de julho de 2014 | 17h01

O conglomerado português Espírito Santo International (ESI) pediu proteção contra credores em um tribunal de Luxemburgo, dizendo que é incapaz de cumprir com suas obrigações de dívida.

O pedido ocorre após promotores em Portugal terem informado que estão investigando questões relacionadas ao grupo e o Banco Central do país ter se movimentado para dissipar temores relativos ao Banco Espírito Santo, segunda maior instituição financeira portuguesa por ativos.

O Espírito Santo International afirmou que sua reestruturação "será em prol dos melhores interesse de seus credores", já que permitirá uma "disposição transparente e ordenada" dos ativos.

Uma vez aprovado o pedido do ESI, as ações de fiscalização por parte dos credores serão suspensas, segundo o conglomerado.

O Espírito Santo International, por meio de sua controlada Rioforte, detém ativos que vão desde imóveis e hotéis em Portugal e no Brasil a uma participação de 49% no Espírito Santo Financial Group, que detém 20% do Banco Espírito Santo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.