Espanha faz crescer aversão a risco e juros dos treasuries caem

Devido ao feriado de segunda-feira, mercado de títulos nos EUA fechou mais cedo hoje

Renato Martins, da Agência Estado,

28 de maio de 2010 | 15h35

Os preços dos títulos do Tesouro dos EUA chegaram ao fim da sessão de negócios abreviada desta sexta-feira em alta, com correspondente baixa nos juros, depois de o rebaixamento da classificação da dívida soberana da Espanha pela Fitch Ratings fazer crescer a ansiedade quanto à crise da dívida europeia e a perspectiva de crescimento da economia global. O mercado de Treasuries (títulos públicos americanos) fechou mais cedo por causa do feriado norte-americano da próxima segunda-feira (Memorial Day).

O anúncio da decisão da Fitch foi acompanhado por uma aceleração da queda das ações na Bolsa de Nova York e por novo recuo do euro frente ao dólar, à medida que os investidores evitavam ativos de maior risco. Os preços dos Treasuries, por sua vez, já estavam em alta pela manhã, com muitos investidores ajustando suas carteiras no último dia útil do mês.

Indicadores norte-americanos contraditórios fizeram crescer a incerteza quanto à perspectiva da economia (os gastos dos consumidores ficaram estáveis, enquanto o índice de atividade dos gerentes de compras de Chicago recuou, mas o índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan subiu).

"Há um nervosismo considerável em torno das emissões soberanas. O rebaixamento da Espanha hoje voltou a enfatizar os riscos para os investidores e, pelo menos no momento, está levando a uma fuga para a qualidade", comentou Dan Greenhaus, estrategista-chefe da Miller, Tabak & Co. Para o trader Christian Cooper, da Jefferies, o rebaixamento da Espanha "significa que logo poderemos ver a volta da discussão sobre quem será o próximo, o que deverá fazer crescer a volatilidade e, potencialmente, colocar novos obstáculos diante dos ativos de risco no curto prazo". Cooper acrescentou que, embora a economia dos EUA pareça estar bem protegida no momento, o estresse contínuo dos mercados de financiamento para curto prazo "poderá ser o primeiro teste verdadeiro de uma recuperação nascente".

No fechamento, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 4,215%, de 4,247% ontem; o juro das T-notes de 10 anos estava em 3,300%, de 3,349% ontem; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,769%, de 0,876% ontem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtreasuriestítulosjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.