Espanha paga retorno ao investidor mais baixo em leilão de títulos

Governo espanhol vendeu 2,245 bilhões de euros em papéis de três e seis meses, perto do piso da faixa pretendida, que ia de 2 bilhões de euros a 3 bilhões de euros

Danielle Chaves, da Agência Estado,

25 de janeiro de 2011 | 11h09

A Espanha pagou yield (retorno ao investidor) bem mais baixo do que anteriormente em um leilão de títulos de curto prazo realizado nesta terça-feira. O país beneficiou-se da recente melhora no sentimento dos mercados com relação aos países debilitados da zona do euro e também do mais novo movimento do governo para reestruturar o setor bancário do país, anunciado ontem.

O governo espanhol vendeu 2,245 bilhões de euros em papéis de três e seis meses, perto do piso da faixa pretendida, que ia de 2 bilhões de euros a 3 bilhões de euros. O yield médio do título de três meses caiu para 0,980%, de 1,804% no leilão de 21 de dezembro, enquanto o do título de seis meses recuou para 1,801%, de 2,597%. As taxas de relação entre ofertas feitas e aceitas (bid-to-cover) foram de 5,48 e 5,11, respectivamente, consideradas altas e um sinal de demanda forte.

Separadamente, a Hungria teve de oferecer yield levemente mais alto para atrair interessados em seu leilão de títulos. O país conseguiu vender 50 bilhões de florins (US$ 247,5 bilhões) em títulos de três meses, porém com yield médio de 5,93%, ante 5,63% no leilão de 18 de janeiro.

Também foi realizado um leilão pelo governo da Holanda, que vendeu 2,7 bilhões de euros em bônus soberanos não referenciais, dentro da faixa pretendida, que ia de 2 bilhões de euros a 3 bilhões de euros. Os papéis DSL para 2012 tiveram yield médio de 1,108%, em comparação com 1,40% no leilão de 26 de janeiro do ano passado, e os DSL 2017 ofereceram 2,812%, ante 2,84% em 23 de março de 2010. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.