Especial: Antecipar a restituição do IR só se for para quitar dívidas

Pondere bem antes de contratar uma linha de crédito especial para antecipação do valor a ser restituído do Imposto de Renda. Especialistas advertem que a primeira pergunta que o contribuinte deve se fazer é qual a finalidade da utilização desse empréstimo antecipado. Se for apenas para consumo, esqueça. Tanto o professor de Ciências Contábeis da Universidade Ibirapuera (Unib), João Carlos Natal, quanto o diretor da consultoria brasiliense Prosperare Finanças Pessoais, Rogério Olegário, concordam que a antecipação da restituição é válida apenas se o propósito for saldar dívidas com o cartão de crédito, cheque especial ou empréstimos com taxas abusivas. "Devemos levar em consideração que, se a Receita mantiver o calendário de anos anteriores, as restituições começarão este ano em 15 de junho, portanto o período da antecipação (março) e o primeiro lote (junho) será de pelo menos três meses", observa o professor da Unib, destacando que a linha de crédito mais barata trará um fôlego financeiro maior para saldar a dívida. O consultor endossa a avaliação dizendo que "vale a pena pagar alguns reais para antecipar a devolução e quitar as dívidas". Depois disso, Olegário aproveita para brincar e sugerir ao devedor que peça perdão à Santa Edwiges (padroeira dos endividados) e prometa que não voltará a pecar e, a partir de agora, irá se organizar melhor financeiramente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.