Estoques nos EUA derrubam preço do petróleo

Os contratos futuros de petróleo bruto operam em queda nesta quarta-feira, pressionados pela elevação nos estoques da commodity nos Estados Unidos e pela amenização das preocupações com a crise geopolítica na Ucrânia.

Agencia Estado

30 de abril de 2014 | 08h52

Na terça-feira, 29, o American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) informou que os estoques norte-americanos de petróleo bruto tiveram um crescimento de 3 milhões de barris na semana encerrada em 25 de abril.

Estoques de petróleo nos EUA podem ter subido acima de 400 milhões de barris pela primeira vez na história, se os números oficiais estiverem em linha com os do API. O Departamento de Energia dos EUA deverá publicar seus dados sobre estoques nesta quarta-feira.

"Na ausência de novas notícias da Ucrânia para direcionar os preços, o foco está na oferta abundante no mercado dos EUA, o que está pesando sobre os contratos", escreveram analistas do Commerzbank em nota a clientes.

A Ucrânia continua nos radares dos investidores devido à tensão geopolítica, mas os mercados estão ignorando os desdobramentos da crise, disse David Hufton, de corretora PVM.

Na terça-feira, 29, militantes pró-Rússia quebraram portas e invadiram prédios do governo em uma área da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, em meio a críticas do governo de Kiev contra a polícia local por não conter a crescente agitação.

Os acontecimentos na região de Luhansk, no leste da Ucrânia, ocorreram apesar de uma nova onda de sanções dos EUA e da União Europeia contra a Rússia. As medidas punitivas visam forçar o Kremlin a controlar os ativistas, que tem repetido comentários do presidente russo, Vladimir Putin, de que o governo ucraniano é ilegal. Eles pediam mais autonomia para a parte oriental da Ucrânia.

Às 8h25 (de Brasília), o petróleo para junho perdia 1,21% na Nymex, a US$ 100,06 por barril, e o brent para junho caía 0,55%, a US$ 108,38 por barril, na ICE. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoEUAestoques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.