Estrangeiros ficam com 67% da oferta de ações da Julio Simões Logística

Empresa obteve R$ 477,9 milhões com sua oferta primária de ações

Luana Pavani, da Agência Estado,

27 de maio de 2010 | 09h20

A Julio Simões Logística obteve R$ 477,9 milhões com sua oferta primária de ações, conforme aviso de encerramento, publicado hoje. Foram distribuídas 59.737.853 ações ordinárias, considerando o lote suplementar parcialmente exercido, de 3.923.900 papéis. Depois de adiar o cronograma por duas vezes, a Julio Simões fechou a oferta ao preço de R$ 8,00 por ação, abaixo do piso da faixa indicativa.

 

Do total, 114 investidores estrangeiros ficaram com 67% da quantidade de ações, ou 40.039.100 ONs, incluindo 46,7 mil ações adquiridas pelo Credit Suisse como hedge (proteção) para operações com derivativos no exterior. Também a casa exerceu atividade de estabilização de preço, com a compra de 3.270.900 ações e venda de 1.194.800.

 

Atrás dos estrangeiros vieram 107 fundos de investimento, com 14,85% das ações (8.870.568), seguidos por pessoas ligadas à emissora ou aos participantes do consórcio, com 13,46% do total (8.042.899 papéis). Também participaram dez pessoas jurídicas, com 2.146.310 ações; 726 investidores pessoa física, com 1.612.465 ONs, e mais nove clubes de investimento (386.075), três entidades de previdência privada (29.561), uma instituição intermediária participante (164.874) e duas demais instituições financeiras (522.101).

A coordenação da oferta ficou a cargo do Bradesco BBI (líder), junto com Credit Suisse, BTG Pactual e BB Investimentos.

Tudo o que sabemos sobre:
júlio simõesaçõesestrangeiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.