Estrangeiros ficam com 78,57% da oferta da Mills

Oferta somou R$ 685.740.733,50 ações, ao preço de R$ 11,50 cada

Fatima Laranjeira, da Agência Estado,

20 de maio de 2010 | 09h26

A oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da Mills Estruturas e Serviços de Engenharia, com a distribuição primária de 37.037.037 ações ordinárias e secundária de 22.592.592, incluindo as do lote suplementar, teve participação majoritária de investidores institucionais estrangeiros. Eles ficaram com 78,57% do total de 59.629.629 papéis. A oferta de ações da empresa somou R$ 685.740.733,50 ações, ao preço de R$ 11,50 cada. A empresa pretende usar os recursos captados com a emissão de ações em aquisições estratégicas e compras de equipamentos.

 

Conforme o anúncio de encerramento da oferta, publicado hoje, 131 investidores estrangeiros adquiriram 46.067.053 ações, incluindo os 3,318 milhões de papéis adquiridos pelo Goldman Sachs e/ou afiliadas como forma de proteção para operações com derivativos de ações realizadas no exterior. O segundo maior conjunto de participantes da oferta foi o de fundos de investimento: 70 deles compraram 15,38% ou 9.172.173 papéis.

 

Também participaram 29 sócios administradores e empregados, que subscreveram 2.335.948 ações; 1.086 pessoas físicas, que compraram 1.860.629 papéis; uma instituição financeira, que ficou com 62.500 ações; 22 clubes de investimento, com 52.333 ações; quatro fundos de previdência, com 40.480 ações; 14 pessoas jurídicas, com 29.818 papéis; e um pessoa jurídica ligada à empresa ou aos coordenadores da oferta, com a compra de 8.695 ações.

 

No âmbito das atividades de estabilização, pela Itaú Corretora de Valores, foram adquiridas e vendidas 1.370.000 ações ordinárias. O Itaú BBA foi o coordenador líder da oferta, com os bancos BTG Pactual e Goldman Sachs.

Tudo o que sabemos sobre:
Millsações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.