Estrangeiros já retiraram R$ 1,2 bi da Bovespa este ano

Os investidores estrangeiros retiraram o equivalente a R$ 711,1 milhões da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nos 20 primeiros dias de julho. No período, as compras de ações alcançaram R$ 7,751 bilhões e as vendas, R$ 8,462 bilhões. No acumulado do ano, o saldo entre entradas e saídas de dinheiro externo na bolsa paulista também está negativo: R$ 1,261 bilhão. De janeiro a maio, o capital estrangeiro na Bovespa apresentou superávit. O pico de 2006 deu-se no fim de abril, quando o saldo era positivo em R$ 3,2 bilhões. De lá para cá, o humor dos investidores azedou, em decorrência das incertezas sobre a economia americana. Discursos do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, fizeram crescer os temores de que a taxa básica de juros subiria mais que o inicialmente projetado. Parte da tensão foi dissipada na semana passada, quando Bernanke discursou no Senado e deu a entender que a inflação no país está controlada. Com isso, muitos analistas acreditam que o ciclo de alta dos juros americanos, iniciado em junho de 2004, está próximo do fim. No Hemisfério Norte, este período do ano é marcado pelas férias escolares. Normalmente, o fluxo de capitais para países emergentes como o Brasil cai. É o que parece estar ocorrendo em julho. As operações de compra e venda de ações na Bovespa até o dia 20 somavam pouco mais de R$ 16 bilhões. Para se ter uma idéia, o recorde do ano ocorreu em maio, quando compras e vendas totalizaram mais de R$ 50 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.