Estrangeiros reduzem posição vendida em Ibovespa futuro

Isenção da alíquota do IOF pelo governo fez ampliar a posição vendida dos estrangeiros nos últimos dias 

Olívia Bulla, da Agência Estado,

12 de junho de 2013 | 08h29

Na véspera do vencimento de opções sobre ações, os investidores estrangeiros reduziram ainda mais a aposta na queda do Índice Bovespa, no mercado futuro. Dados atualizados pela BM&F Bovespa mostram que os não-residentes encerraram a sessão de terça-feira, 11, vendidos no derivativo com 119.505 contratos em aberto, resultado de 114.515 contratos na compra e 234.020 contratos na venda. Um dia antes, essa estratégia contava com 125.158 contratos em aberto.

É válido lembrar que a posição vendida dos estrangeiros vem sendo reduzida sucessivamente, desde que o governo anunciou, na noite da terça-feira da semana passada, 4, a isenção da alíquota de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nas aplicações de investidores estrangeiros em renda fixa. Para profissionais consultados pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, essa medida inibe as operações de cash and carry (por exemplo, quando o investidor compra opção do índice à vista e venda de índice futuro), uma vez que torna menos atrativa o diferencial de juros pago.

Para se ter uma ideia, em 4 de junho, os não-residentes estavam vendidos em Ibovespa futuro com 140.663 contratos em aberto, resultado de 91.965 contratos na compra e 232.628 contratos na venda. Portanto, em uma semana, essa estratégia contou com uma redução líquida de mais de 20 mil contratos (21.158) na posição vendida, o que representa, em valores, cerca de R$ 1 bilhão. Está previsto para esta quarta-feira, 12, na BM&F Bovespa, o exercício das opções sobre índice futuro e o vencimento de contrato futuro de Ibovespa.

Tudo o que sabemos sobre:
Ibovespa futuroestrangeiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.