Eternit visa novas captações com ingresso no Novo Mercado

Além de servir como vitrine, a adesão da Eternit ao Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo faz parte da estratégia da companhia de buscar recursos de baixo custo para fazer frente ao seu plano de dobrar de tamanho nos próximos anos. De acordo com o presidente da empresa, Élio Martins, o objetivo é diversificar o portfólio dentro do segmento de material de construção e mineração, nos quais já trabalha atualmente com a venda de artigos de fibrocimento (caixas d´água e telhas) e com a extração de amianto crisotila. "Sabemos que o mercado de capitais é hoje a via mais barata para captar recursos", disse Martins, na cerimônia de adesão do Novo Mercado, hoje na Bovespa. Ele não detalhou o valor nem o prazo em que pretende fazer captações. Segundo o executivo, a empresa procura oportunidades de aquisição no mercado interno há um ano, processo que vem sendo assessorado pela Latin Finance. "Estamos abertos para fusões ou aquisições de preferência fora do segmento em que atuamos, podendo ser tintas, azulejos ou metais, desde que seja na área de material de construção, de maneira que a empresa possa utilizar os canais de distribuição que já tem", afirmou o presidente da Eternit. A companhia também está atenta a oportunidades de compra no setor de mineração. Apesar de não revelar a área de interesse, Martins confirma que podem ser empresas de exploração de cobre, níquel ou outros minerais. Ele descartou, porém, aquisições fora do País. "Nosso foco é o mercado interno, onde acreditamos que existam muitas oportunidades."

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 12h52

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.