Luke MacGregor/Reuters
Luke MacGregor/Reuters

EUA cobram US$ 14 bi do Deutsche Bank para encerrar caso sobre hipotecas

Cobrança ultrapassa em muito estimativas do banco e de investidores e instituição diz que negociações estão 'apenas começando'

O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2016 | 09h01

FRANKFURT - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos está cobrando do Deutsche Bank US$ 14 bilhões para encerrar uma investigação sobre venda de títulos lastreados por hipotecas.

A cobrança, que provavelmente será negociada durante vários meses, ultrapassa em muito estimativas do banco e de investidores sobre tais custos.

"O Deutsche Bank não tem intenção de encerrar o caso em nenhuma região perto deste número citado. As negociações estão apenas começando. O banco espera que elas levem a um resultado similar ao obtido por outros bancos que resolveram disputas por valores materialmente menores", afirmou a instituição.

As ações do banco caíram quase 8% e puxaram as bolsas europeias para baixo.

O caso envolve processo civis sobre a emissão e subscrição de títulos lastreados em hipotecas residenciais e conhecidos como RMBS, relacionados a atividades de securitização realizadas entre 2005 e 2007.

No final de junho, o Deutsche Bank tinha um total de 5,5 bilhões de euros (US$ 6,1 bilhões) em reservas legais para cobrir processos judiciais.

Repercussão. O governo alemão espera que a investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre a venda pelo Deutsche Bank de títulos lastreados em hipotecas resulte em um acordo justo, segundo uma porta-voz do Ministério das Finanças da Alemanha.

Berlim está ciente de que as autoridades norte-americanas "concordaram com acordos de pagamento em casos similares com outras instituições de crédito", disse a porta-voz do ministério, Friederike von Tiesenhausen. "O governo espera que, baseando-se na conclusão de que há um tratamento igualitário, um resultado justo seja alcançado também no fim deste processo." / REUTERS E DOW JONES NEWSWIRES

Mais conteúdo sobre:
Deutsche Bank Mercado Financeiro Hipoteca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.