EUA e China dividem fechamento das bolsas asiáticas

Investidores se dividem entre sinais dos Estados Unidos e da China e fixeram os mercados asiáticos fecharem sem direção única

Marcelo Ribeiro Silva, da Agência Estado,

21 de maio de 2014 | 08h33

As bolsas asiáticas encerraram sem direção única nesta quarta-feira, com os investidores divididos entre sinais dos Estados Unidos e China. Alguns participantes do mercado seguiram a cautela apresentada ontem pelos índices acionários de Wall Street, enquanto outros operaram com otimismo à espera de dados industriais do gigante asiático.

Os mercados chineses permaneceram até o final do pregão em terreno positivo, com os investidores à espera da publicação do índice de gerente de compras (PMI) industrial da China, hoje à noite. O principal índice acionário do país, o Xangai Composto, encerrou o dia em alta de 0,84%, a 2.024,95 pontos. O Shenzhen Composto, que acompanha empresas menores, subiu 0,93%, a 1.028,00 pontos.

Entre os destaques positivos do noticiário, a China anunciou a abertura de uma série de projetos de demonstração ao capital privado em busca de investidores, envolvendo áreas como ferrovias, oleodutos, gasodutos, petroquímica, portos e energia.

Nem mesmo a decisão da Moody''s de alterar a perspectiva para o setor imobiliário da China para negativa, em função da desaceleração nas vendas de imóveis residenciais no país, foi suficiente para prejudicar os negócios com ações.

O mercado em Hong Kong também foi ligeiramente impulsionado pela expectativa gerada pelo PMI industrial chinês, mas teve o ganho limitado pelo desempenho das ações norte-americanas durante o pregão de ontem. O índice Hang Seng avançou 0,01%, a 22.836,52 pontos. Entre as ações, a Lenovo subiu 3,4%, após a companhia anunciar aumento no lucro líquido do ano fiscal encerrado em março.

Alguns mercados asiáticos seguiram o otimismo dos investidores chineses e compensaram as perdas registradas na sessão anterior. Na Indonésia, o índice JSX encerrou a sessão com alta de 0,29%, a 4.659,1 pontos, após a aliança entre um dos maiores partidos políticos e o candidato presidencial, Prabowo Subianto, sinalizar uma disputa acirrada na corrida eleitoral do ano que vem.

Entre outros mercados do sudeste asiático, o índice SET, da Bolsa de Bangcoc, ganhou 0,59%, a 1.351,6 pontos, apagando parte da perda de mais de 1,0% vista na sessão anterior após o Exército da Tailândia decretar lei marcial no país.

Por outro lado, o fraco desempenho de Wall Street levou outras bolsas asiáticas a fecharem em baixa. O índice filipino PSEi, de Manila, caiu 1,75%, a 6.762,38 pontos, e o Straits Times, de Cingapura, teve recuo marginal de 0,11%, a 3.261,78 pontos, enquanto o índice sul-coreano Kospi cedeu 0,15%, a 2.024,95 pontos.

Na região do Pacífico, o mercado australiano fechou com ligeira alta. Os ganhos, porém, foram limitados pelo desempenho desfavorável das ações do setor de mineração, que recuaram após o preço do minério de ferro no mercado spot chinês ter atingido nova mínima em 20 meses. O S&P/ASX 200, da Bolsa de Sydney, avançou 0,08%, a 5.424,60 pontos. Entre os papéis, os da Rio Tinto perderam 1,1% e os da BHP Billiton recuaram 0,8%. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.