EUA e quadro político puxam alta do dólar

O dólar atingia na tarde desta segunda-feira as maiores cotações registradas no dia. Segundo operadores consultados, prevalece o sentimento de que há espaço para o dólar se ajustar, tendo em vista as incertezas sobre os desdobramentos do quadro político interno e a espera pelo discurso hoje à noite do presidente do BC norte-americano, Ben Bernanke, e a divulgação do índice de inflação ao produtor (PPI) norte-americano, amanhã. Na dúvida, os investidores ajustam posições, disse um profissional, citando de outro lado que o risco Brasil operava estável e que as bolsas em Nova York e em São Paulo estavam em alta, o que, em tese, estimularia uma tranqüilidade no câmbio. Às 15h13, o dólar comercial saltava 1,03% em relação ao fechamento de sexta-feira, cotado a R$ 2,148. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), a moeda subia 1,03%, para R$ 2,148.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.