EUA recusa acordo de US$ 13 bi com BofA

Segundo as fontes, o Departamento de Justiça pediu alguns bilhões a mais

FRANCINE DE LORENZO, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agência Estado

16 de julho de 2014 | 16h33

O Bank of America (BofA) tentou negociar ontem com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos um acordo para liquidar as discussões relacionadas às hipotecas que desencadearam a crise financeira em 2008, segundo fontes ouvidas pela agência de notícias Dow Jones.

A reunião foi solicitada pelos advogados do Bank of America, mas terminou sem progressos em direção a um acordo final. Segundo as fontes, o banco ofereceu US$ 13 bilhões, mas o Departamento de Justiça pediu bilhões a mais.

No balanço do segundo trimestre, anunciado hoje pelo Bank of America, constam reservas de US$ 4 bilhões para despesas de contencioso - valor muito superior aos US$ 471 milhões reservados no mesmo período do ano passado. A instituição afirma que esses recursos foram destinados a "assuntos relacionados a hipotecas anteriormente divulgados" - provavelmente uma alusão aos casos da American International Group (AIG) e às negociações com o Departamento de Justiça.

Na segunda-feira, o Citigroup entrou em acordo com o Departamento de Justiça e aceitou pagar US$ 7 bilhões para encerrar o caso envolvendo hipotecas de alto risco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.