EUA: Senado fará sessão extra neste sábado para aprovar Orçamento de 2015

O Senado dos Estados Unidos deve fazer uma sessão extra neste final de semana para discutir o projeto de Lei do Orçamento para o ano fiscal de 2015, após membros do Partido Republicano apresentarem objeções ao projeto na sessão de ontem. O Orçamento para o próximo ano prevê um gasto de US$ 1,1 trilhão e foi aprovado na última quinta-feira na Câmara dos deputados em uma votação acirrada.

Estadão Conteúdo

13 Dezembro 2014 | 09h09

Inicialmente, líderes do Senado esperavam entrar em acordo na sexta-feira, mas foram incapazes de convencer democratas e republicanos. Um outro plano, de adiar a votação para após o final de semana também fracassou, quando republicanos se recusaram a aprovar um termo de curto prazo que mantém a lei orçamentária atual até a próxima quarta-feira.

O novo impasse não significa um atraso na aprovação do projeto de lei no Senado, mas significa que líderes de ambos partidos terão um longo embate neste sábado. "Eu não vejo nenhuma razão para que o Senado precise suspender suas ações enquanto a população norte-americana espera por uma ação", disse o senador republicano Mike Lee, de Utah.

Se não houver um acordo neste sábado, o Senado realizará uma votação processual da lei de gastos no domingo de manhã e uma aprovação final na segunda-feira.

Em uma tentativa de fazer um bom uso da sessão extra deste sábado, o líder da maioria do Senado, o democrata Harry Reid, disse que irá começar uma lista de votos de indicados do presidente Barack Obama, incluindo Vivek Murthy.

"Esse projeto está, eu repito, longe de ser perfeito, mas quando passar será capaz de colocar nosso país em uma situação financeira mais segura", disse Reid.

Entre os pontos criticados da lei orçamentária, os republicanos Mike Lee e Ted Cruz, do Texas, disseram que não é suficiente para bloquear o plano do presidente Barack Obama de gastar milhões para proteger imigrantes ilegais da deportação. Fonte: Dow Jones Newswires

Mais conteúdo sobre:
EUASenadoOrçamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.