Euro atinge US$ 1,30 pela 1ª vez desde fim de outubro

O euro registrou rali acima de US$ 1,30 nesta quinta-feira, mas recuou com a ansiedade sobre as negociações sobre como evitar o chamado "abismo fiscal" - uma série de cortes de gastos e aumentos de impostos que vai entrar em vigor no começo do ano que vem, se não houver consenso para evitar tais medidas - desestimulando o investidor em todo o mercado financeiro.

PATRÍCIA BRAGA, Agencia Estado

29 de novembro de 2012 | 20h40

No começo da sessão em Nova York, a moeda única ganhou impulso com os investidores estimulados pelos comentários conciliatórios de líderes políticos em Washington na quarta-feira e pelo relatório que mostrou que a confiança dos empresários na zona do euro subiu pela primeira vez em três meses em novembro. A moeda única chegou a ser cotada a US$ 1,3015, seu maior nível desde o final de outubro.

Mas o mercado perdeu rapidamente o entusiasmo quando líderes republicanos e democratas lançaram farpas entre si em comentários feitos pela televisão, elevando os temores de que o Congresso possa não chegar a um acordo para reduzir o déficit do governo a tempo de evitar o abismo fiscal.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava sendo cotado a US$ 1,2979, de US$ 1,2953 na quarta-feira, e o dólar valia 106,59 ienes de 106,32 ienes na véspera. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
eurodólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.