Euro avança e antecipa provável alta de juro na Europa

O mercado de câmbio antecipa de 31 de agosto para 3 de agosto o prazo provável de aperto monetário na taxa de juros na zona do euro, após os comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, soarem agressivos. Inicialmente, o euro reagiu aos comentários com aceleração da alta e tocou a máxima de US$ 1,2784. No entanto, a moeda não conseguiu romper novos níveis, em razão do obstáculo motivado pela diferença entre as taxas de juros na zona do euro e nos Estados Unidos. Às 10h23, o euro subia 0,20%, para US$ 1,2747. A expectativa em torno da divulgação, amanhã, do dado sobre o mercado de trabalho norte-americano em junho continua limitando vendas de dólares e suaviza a reação às palavras de Trichet. O presidente do BC europeu afirmou que a política monetária na zona do euro segue em um nível acomodatício, ao mesmo tempo em que prometeu exercer uma forte vigilância das tendências de preços. Em entrevista coletiva concedida após o BCE manter as suas taxas de juros inalteradas, hoje, em 2,75% ao ano, Trichet declarou que as taxas de juros na zona do euro estão ainda baixas, ao mesmo tempo em que avaliou que o crescimento econômico segue ganhando tônus e os investimentos estão se acelerando. Nesta quinta-feira, o BCE decidiu não alterar suas taxas de juros, enquanto o Banco da Inglaterra também deixou a taxa de recompra do Reino Unido no mesmo nível de 4,50%. O BCE anunciou que fará uma reunião com presença física de seus membros em 3 de agosto. Anteriormente, o encontro seria feito via teleconferência. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.